A Chevrolet elevou o nível do Cobalt. Apresentado na última quarta-feira (2), o sedã passou pela primeira reestilização desde o seu lançamento em 2011. Visualmente a evolução foi tamanha que o modelo parece ter mudado de geração.

O objetivo da Chevrolet com essa repaginada brutal é dar um ar mais refinado ao Cobalt para que ele deixe de ser visto apenas como uma opção racional de compra. Até então o sedã tinha uma proposta mais próxima a do Renault Logan e Fiat Grand Siena, enquanto que o modelo 2016 tem como objetivo incomodar a dupla Honda City e Nissan Versa.

Mova as setas das galerias abaixo horizontalmente e compare o visual do Cobalt 2011 com o do modelo 2016:

 

 

Novo visual, mais tecnologias

O Cobalt 2016 estreia no Brasil a nova identidade de design da Chevrolet (inaugurada recentemente nos Estados Unidos pela nova geração do sedã grande Malibu). Os principais destaques do Cobalt ficam por conta do novo capô mais vincado, grade frontal com duas aberturas, faróis afilados e mais proporcionais ao desenho da dianteira. Já o para-choque recebeu novas entradas de ar e molduras dos faróis de neblina.

A traseira também foi redesenhada e agora conta com lanternas horizontais. No caso da tampa do porta-malas, o chamariz é um discreto aerofólio moldado em sua extremidade. Por dentro as mudanças não foram tão radicais. Basicamente o sedã ganhou elementos cromados ao redor das saídas de ar e oferece a opção de revestimento bicolor.

Além do novo visual, internamente um dos destaques do Cobalt 2016 é a nova tela central sensível ao toque de 7 polegadas (antes era de 6,2 polegadas) com resolução de 16 milhões de cores, que estreia a segunda geração da central multimídia MyLink. O sistema permite a integração com smartphones por meio dos sistemas Android Auto (Google) e CarPlay (Apple). Com essa tecnologia é possível ditar e ouvir mensagens de texto no sistema de áudio do carro, obter itinerários, consultar condições de trânsito e até mesmo acessar aplicativos, como WhatssApp, Skype, Spotify e TuneIn.

Já a tecnologia OnStar, recém-lançada no Cruze, também chega à linha Cobalt. O sistema de telemática conta com serviços de emergência, navegação, concierge e conectividade. Para utilizar o recurso, basta o usuário pressionar um botão no retrovisor interno, que o conecta a uma central com atendimento humano, que oferece serviços de pesquisas rápidas na internet, reservas e informações de tráfego. O OnStar solicita também assistência mecânica ou médica em caso de emergência.

Mecânica igual

O conjunto mecânico do Cobalt segue o mesmo: as motorizações disponíveis são 1.4 litro de 94/102 cv de potência e 13 kgfm de torque e 1.8 de 106/108 cv e 17,1 kgfm (gasolina/etanol) não sofreram alterações. A transmissão padrão é a manual de cinco marchas, com a opção da caixa automática de seis velocidade para o motor mais potente.

A suspensão do sedã continua sendo o conjunto MacPherson na dianteira e barra de torção na traseira, enquanto os freios mantém os discos ventilados na dianteira e tambores na traseira. Já as rodas medem 15 polegadas e são de liga leve para todas as versões, com exceção da variante de entrada. Confira mais abaixo os preços e principais equipamentos da linha Cobalt 2016.

Impressões ao dirigir

Quem já entrou em um Cobalt sabe que o espaço é o seu ponto forte. Por isso a Chevrolet manteve esse aspecto intacto. O entre-eixos do sedã permanece com 2,62 metros e o volume de incríveis 563 litros do porta-malas segue agradando as grandes famílias e os taxistas.

Durante o test-drive a bordo da versão Elite (portanto, com o motor 1.8 e câmbio automático) o sedã mostrou o comportamento já conhecido, com a suspensão confortável e direção suave. Uma das falhas, no entanto continua sendo a dificuldade de o motor ganhar fôlego em ultrapassagens, por exemplo. O modelo também peca por não contar com sistema de direção elétrica (segue com a tecnologia hidráulica).

De acordo com a Chevrolet, espera-se um mix de vendas de 80% para as versões automáticas, sendo que as variantes LTZ e Elite deverão figurar como as mais vendidas.

Versões, preços e principais equipamentos do Chevrolet Cobalt 2016:

+ Cobalt LT 1.4 manual (R$ 52.690): airbags frontais; freios com ABS; direção hidráulica; vidros e travas das quatro portas e espelhos com acionamento elétrico; chave canivete com controle remoto de abertura das portas e tampa do porta-malas; banco do motorista e coluna da direção com regulagem de altura; ar-condicionado; acabamento interno nas cores preta e cinza.

+ Cobalt LTZ 1.4 manual (R$ 57.590): itens da LT, com o acréscimo de faróis de neblina com moldura cromada; sensor de estacionamento traseiro; computador de bordo; volante multifuncional; controle de cruzeiro; sistema multimídia MyLink; sistema OnStar; rodas de liga leve e interior com acabamento “premium”.

+ Cobalt LTZ 1.8 manual (R$ 59.990): mesmos equipamentos da LTZ 1.4, mais a motorização 1.8.

+ Cobalt LTZ 1.8 automático (R$ 65.990): pacote da LTZ 1.8, com a adição da transmissão automática.

+ Cobalt Elite 1.8 automático (R$ 67.990): equipamentos e conjunto mecânico da LTZ 1.9 automática, mais bancos revestidos de couro bicolor; volante e apoio de braço com costura pespontada; frisos laterais cromados; sensor de chuva e faróis com acendimento automático.

Galeria: Chevrolet Cobalt 2016