Com o lançamento no Brasil confirmado há alguns dias, a nova geração do Volkswagen Passat desembarca no país no começo do ano que vem e o Carsale já teve a oportunidade de dar uma rápida volta no modelo. Fabricado em Emden, na Alemanha, o sedã chega em duas versões de acabamento: Comfortline (R$ 144.500) e Highline (R$ 151.300).

O novo Passat chama a atenção pelo alto nível de tecnologia embarcada, um de seus trunfos para encarar rivais, como Audi A3 Sedan 2.0 TFSI e A4, BMW Série 3 e Mercedes-Benz Classe C, que contam com o status de suas respectivas marcas de luxo.

Confira abaixo os principais itens de série de cada uma das versões do novo Passat:

Comfortline (R$ 144.500):bancos dianteiros com aquecimento e regulagem elétrica do encosto do motorista; seis airbags (dianteiros, laterais e tipo cortina); ar-condicionado digital com três zonas de resfriamento (motorista passageiro e ocupantes do banco de trás); iluminação em LED na região dos pés; relógio analógico no painel; sistema Kessy (acesso ao veículo sem o uso de chave e partida por botão no console); sistema de entretenimento com tela colorida sensível ao toque de 6,5 polegadas; porta-luvas refrigerado; apoio de braços central dianteiro com porta-objetos; abertura do porta-malas por meio de sensor posicionado sob o para-choque traseiro; luzes de condução diurna; volante multifuncional em couro; computador de bordo e controlador automático de velocidade; rodas de liga leve de 18 polegadas e pneus autosselantes nas medidas 235/45 R18. Como opcional, está disponível o teto solar elétrico panorâmico.

Highline (R$ 151.300): traz todos os itens da Comfortline, mais bancos dianteiros com ajustes elétricos – o do motorista ainda conta com memória de posição, aquecimento e apoio lombar com massageador; função “easy entry” (recua automaticamente o banco para ampliar a área de acesso ao veículo e o retorna à posição original); câmera traseira; retrovisores externos elétricos com memória do lado do motorista; faróis em LEDs com sistema DLA (Assistente de Luz Dinâmica para o facho alto); volante multifuncional com aletas (shift paddles) para troca de marchas e bancos revestidos em couro Nappa.

São dez opções de cores para a carroceria: Azul Harvard, Azul Night, Bege Sund, Branco Puro, Cinza Indium, Marrom Oak, Prata Sargas, Prata Tungstênio, Preto Mystic e Vermelho Crimson. Já o revestimento de couro dos bancos pode ser nas tonalidades bege, marrom ou preto.

Com essas configurações, a Volkswagen entra de vez na briga no segmento de sedãs premium, um dos que mais crescem no Brasil. Para competir de forma agressiva, a proposta é oferecer um carro bem equipado de série e com poucos opcionais. Os únicos equipamentos que podem ser adquiridos à parte são o teto solar elétrico (R$ 5.400) e o pacote Premium (R$ 4.900) – integra o sistema de entretenimento Discover Pro com tela sensível ao toque de oito polegadas, som com 11 alto-falantes e 700 Watts de potência; sistema Pro-Active; assistente automático de estacionamento; controle de cruzeiro adaptativo (ACC); painel digital programável; assistente de mudança de faixa (Side Assist).

O Passat mede 4,7 metros de comprimento (2 mm mais curto que a geração anterior), 2,79 m de distância entre-eixos de (foi alongada em 79 mm), 1,45 m de altura (redução de 14 mm) e 1,83 m de largura (12 mm mais alto que o antecessor). O entre-eixos maior, mesmo com a pequena redução no comprimento, foi possível graças à utilização da plataforma MQB, a mesma do Golf e do Audi A3 Sedan.

O interior ganhou ainda mais sofisticação com materiais de melhor qualidade como o uso de textura emborrachada elementos em metal. Com frisos integrados às saídas do ar-condicionado, o sedã está com aspecto mais moderno. A sofisticação é confirmada pelo novo quadro de instrumentos totalmente digital (Active Info Display), parecido com o do novo Audi TT. O painel mostra a navegação em 2D ou 3D, em uma tela de 12,3 polegadas. As informações sobre as funções de condução, de navegação e de assistência podem ser integradas em áreas gráficas do velocímetro e conta-giros, conforme necessário.

Impressões ao dirigir

O desempenho sobra com o motor 2.0 turbo de 220 cv de potência (9 cv a mais que na geração anterior) a 4.500 rpm. Já o torque é de 35,7 kgfm (ganho de 7 kgfm) e totalmente disponível a partir de 1.500 rpm.Mesmo pesando 1.499 kg em ordem de marcha, o sedã possui ótimas arrancadas e retomadas. A Volkswagen informa que o Passat é capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 6,7 segundos (ante 7,6 segundos da versão anterior) e atingir a velocidade máxima de 246 km/h.

Há cinco modos de condução: Eco, Comfort, Normal, Sport e Individual. O primeiro prioriza a economia de combustível, reduzindo o esforço do motor e gerenciando o câmbio DSG de dupla embreagem de modo que as trocas de marchas (são seis à frente no total) sejam feitas de maneira praticamente imperceptível a rotações de até 3.500 rpm. Já o Sport deixa o carro mais perto do chão graças à suspensão adaptativa e aumenta a rigidez da direção. Nesse modo, as marchas são esticadas até os 6.500 rpm antes de cada troca (dependendo da aceleração).

A posição de dirigir é extremamente confortável, principalmente por conta dos ajustes elétricos do banco do motorista, que ainda conta com sistema de climatização e massageador. O formato do encosto contribui para a fácil acomodação do condutor.

Com o piloto automático adaptativo acionado, é possível ajustar a distância em relação ao veículo da frente. O carro acelera e freia automaticamente, de acordo com o limite de velocidade imposto pelo motorista. Com o sistema ligado, a velocidade máxima do carro fica limitada a 160 km/h.

Apostando em conectividade, sofisticação e eficiência energética, o Passat mostra atributos para incomodar a concorrência, cujos modelos ou não possuem ou ficam bem mais caros que o Volkswagen quando equipados com os mesmos recursos tecnológicos. Durante a apresentação do carro a fabricante disse que não existe a possibilidade de trazer a versão perua do novo Passat.

Fotos: Divulgação e Renan Rodrigues