Ter dinheiro para comprar um superesportivo pode não ser o suficiente. Os custos para manter um modelo desse padrão assustam os desavisados. Para ilustrar o que significa para o bolso rodar com um supercarro, um proprietário de um Lamborghini Gallardo resolveu colocar no papel todos os gastos. O proprietário do carro possui um canal no YouTube e conta tudo no vídeo abaixo.

Dono do modelo italiano há nove meses, o rapaz diz ter rodado cerca de 5.000 milhas (aproximadamente 8.000 quilômetros) nesse período, desembolsando US$ 7.200 (valor equivalente a R$ 26,8 mil em uma conversão simples) para suprir as despesas do bólido.

Nas comunidades de proprietários de Gallardo, o valor estimado para cada 1,6 quilômetro rodado (ou 1 milha) é de aproximadamente de US$ 2 (cerca de R$ 7,40). Outro ponto assusta os donos do superesportivo é o fato de a embreagem do modelo custar, em média, US$ 6.000 (R$ 22.300), enquanto uma peça de kevlar, material mais leve resistente e leve, chega a US$ 9.000 (R$ 33.500). Já o consumo de combustível fica na casa dos 4,6 km/l.

Vale frisar que o Gallardo era o modelo de entrada da Lamborghini, posto que atualmente é ocupado pelo Huracán. Durante uma década, a marca italiana fabricou 14 mil unidades do superesportivo.

Foto e vídeo: Vehicle Virgens