Placas de carros não passam de peças de metal feitas para identificar um veículo, mas algumas podem ganhar valores estupendos de acordo com a história que carregam. É o caso das placas da limusine Lincoln na qual o presidente do Estados Unidos John F. Kennedy foi assassinado em 1963.

Depois do fatídico dia em Dallas, a limusine foi enviada para Cincinnati para ganhar itens adicionais de segurança. Durante o processo de modificação, um agente do FBI jogou as placas amarelas com o número GG 300 fora, porém, Willard C. Hess, dono da empresa, resgatou-as do lixo.

Hess, literalmente, manteve as placas juntando pó na prateleira, depois resolveu entregar para sua filha Jane Walker, que guardou-as em uma gaveta da cozinha. Recentemente ela entrou em contato com a empresa Heritage Auction, em Dallas. Os itens foram à leilão e no dia 7 de novembro um colecionador autônomo pagou US$ 100 mil (R$ 376 mil) pelas placas. O lance mínimo era de US$ 40 mil (R$ 150 mil).