“Mais potente que um Mercedes-Benz Classe C, mais admirado que um Lexus IS350 e com mais espaço interno que um BMW Série 7″. Foi com essa chamada que a Hyundai anunciou a chegada do Azera ao mercado brasileiro, em 2007, enaltecendo as qualidades do modelo que tinha o custo-benefício como principal apelo de compra. Custando pouco mais que um sedã médio da época, o Azera trazia uma cabine bem acabada, bancos de couro com regulagens elétricas, ar-condicionado de duas zonas, faróis de xenônio, teto solar e, de quebra, era movido por um motorzão V6 de 245 cv. Com todos esses requisitos não demorou para o coreano dominar o segmento de sedãs grandes.

Em 2012, a quinta e atual geração do Hyundai chegava ao Brasil batizada de “New Azera”. Totalmente renovado, o modelo ficara maior, com visual alinhado à identidade “escultura fluída”, e mantinha a farta lista de itens de série. Mas a atualização e a nova regulamentação de cotas para veículos importados adotada pelo governo brasileiro no final de 2011 obrigaram a Hyundai-CAOA a abrir mão da proposta de oferecer “mais por menos”.

No começo deste ano, o Azera recebeu discretos retoques no para-choque dianteiro, que ganhou faróis de neblina com molduras cromadas, rodas de liga leve redesenhadas e uma central multimídia mais completa. Oferecido em versão única, o sedã tem preço sugerido de R$ 167.990 (reajustado no começo de outubro).

Medindo 4,92 metros de comprimento, o Azera chama a atenção por onde passa. A carroceria cheia de vincos atrai olhares e mostra certa ousadia estilística se comparada à da geração anterior, mais retilínea e sisuda. A frente do sedã, com faróis afilados e uma imponente grade cromada, é facilmente confundida com a do último Sonata vendido no Brasil. Já a traseira é mais conservadora, com lanternas horizontais ligadas por uma régua vermelha parecida com a do modelo antigo.

O interior possui elementos que remetem a outros modelos da Hyundai, mas o espaço e a qualidade do acabamento do Azera são superiores. Com 2,84 metros de distância entre-eixos, o sedã coreano acomoda cinco passageiros sem cerimônia.

Bancos, volante e parte dos painéis das portas são revestidos de couro. A cabine ostenta materiais de boa qualidade e montagem digna de sedã premium — com certo exagero na utilização de apliques “black piano”.

Bem recheado, o Azera traz airbags frontais, laterais (dianteiros e traseiros), de cortina e para o joelho do motorista; controles eletrônicos de estabilidade e tração; direção elétrica; ar-condicionado digital de duas zonas com saídas para o banco traseiro; chave presencial com botão de partida no painel; freio de estacionamento eletrônico; bancos dianteiros e coluna da direção com ajustes elétricos e memória; piloto automático; faróis de xenônio com lavadores e acendimento automático; teto solar panorâmico; sensor de chuva; central multimídia com GPS e câmera de ré; sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, entre outros itens.

Conforto é o ponto forte

Conforme citado anteriormente, o habitáculo do Azera acomoda o motorista e mais quatro passageiros sem dificuldades. Os bancos são confortáveis como poltronas — os dianteiros ainda contam com aquecimento, bem como o volante. Para diminuir a incidência da luz solar sobre os ocupantes do banco de trás, há ainda uma cortina com acionamento elétrico no vidro traseiro.

O sedã coreano confirma a sua aptidão com um rodar macio e silencioso, mas a suspensão independente nas quatro rodas não consegue fazer milagres na hora de absorver os impactos das irregularidades do péssimo piso brasileiro.

Rodando em estradas de asfalto liso, o Azera parece “flutuar” tamanho o conforto do seu conjunto de suspensões, mesmo sendo equipado com rodas de 18 polegadas e pneus Hankook de perfil baixo (245/45 R18).

Embora seja equipado com um motor V6 de 3.0 litros, o Azera não ostenta desempenho de esportivo. O propulsor gera 250 cv de potência a 6.400 rpm, mas disponibiliza os 28,8 kgfm de torque a 4.700 rpm. Essa entrega de força a rotações mais elevadas faz o sedã hesitar um pouco em arrancadas e retomadas. O câmbio automático de seis marchas, de funcionamento que prioriza o conforto, também contribui para esse comportamento mais pacato. Mas isso não quer dizer que o Azera seja um carro lento. Em rodovias ele tem potência suficiente para manter velocidades de cruzeiro superiores às dos limites legais, caso o condutor não fique de olho no velocímetro — o piloto automático, fácil de usar, é bem útil para evitar esse tipo de infração.

Como era de se esperar para um carro de porte avantajado e com um motor de seis cilindros empurrando uma massa de 1.581 kg, o consumo não é o ponto forte do Azera. As melhores médias registradas pelo computador de bordo foram de 7 km/l na cidade e 11 km/l na estrada. Não são marcas absurdas, se considerarmos o tamanho do sedã, mas em tempos de motores dotados de tecnologias voltadas à economia de combustível (como turbo e sistema start-stop), a Hyundai poderia rever esse aspecto.

No geral, o Azera é um carro bem construído, com ótimo nível de conforto a bordo e lista de equipamentos de série generosa. Por outro lado, o último reajuste em sua tabela o deixou ainda mais distante daquele que pode ser considerdo o seu principal adversário em termos de porte e potência. A versão mais completa do Ford Fusion, a Titanium EcoBoost AWD (equipada com motor de quatro cilindros 2.0 turbo de 240 cv), parte de R$ 137.600 (diferença de mais de R$ 30 mil) e acrescenta itens de segurança, como piloto automático adaptativo, sistema de estacionamento automático, monitoramento de ponto cego, sistema de monitoramento de permanência em faixa e alertas de colisão e tráfego cruzado, além da tração integral (no Azera é apenas nas rodas dianteiras). Somando todas as versões, o Ford registrou mais de 5.700 emplacamentos entre janeiro e setembro deste ano, enquanto o Hyundai teve 664 unidades comercializadas no período.

Fotos: Renan Rodrigues

Ficha técnica

Modelo
Hyundai Azera
CarroceriaMonobloco, sedã, 5 passageiros, 4 portas
MotorDianteiro, longitudinal, 3.0 litros, V6, 24 válvulas, injeção direta, gasolina
Cilindrada (cm³)2.999
Potência250 cv a 6.400 rpm
Torque28,8 kgfm a 4.700 rpm
Freios dianteirosDiscos ventilados
Freios traseirosDiscos sólidos
Suspensão dianteiraIndependente, tipo McPherson com molas helicoidais e amortecedores a gás de dupla ação
Suspensão traseiraMulti-link, com amortecedores a gás de dupla ação e barra estabilizadora
RodasLiga leve de 18 polegadas
Pneus245/45 R18
DireçãoElétrica
Peso em ordem de marcha (kg)1.581
Comprimento (metros)4,92
Largura (m)1,86
Altura (m)1,47
Distância entre-eixos (m)2,84
Tanque (litros)70
Porta-malas (litros)461
TransmissãoAutomática de seis marchas
TraçãoDianteira