O Governo Federal publicou no Diário Oficial da União nesta terça-feira (27) uma decisão que incentiva a venda de carros elétricos e híbridos no Brasil. De acordo com a publicação, o Imposto de Importação, que tem alíquota de 35%, deixará de ser cobrado no caso dos veículos totalmente elétricos, sendo que os híbridos passarão a ter tributação de 2% a 7%, de acordo com o nível de eficiência energética. Sendo assim, modelos como o elétrico BMW i3, além dos híbridos

Ainda segundo a resolução 97/2015 da Câmara de Comércio Exterior (Comex), órgão do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, serão contemplados com isenção total do imposto: automóveis montados, semidesmontados (apenas com a carroceria pronta) e totalmente desmontados, o que também facilitará a produção local desses carros. Cada veículo receberá um encargo diferente do imposto, conforme descrito abaixo:

  • Automóvel desmontado; consumo de 0,01 MJ/km a 1,68 MJ/km: 0%
  • Automóvel semidesmontado; consumo de 0,01 MJ/km a 1,10 MJ/km: 0%
  • Automóvel montado; consumo de 0,01 a 1,10 MJ/km: 2%
  • Automóvel semidesmontado; consumo de 1,10 a 1,68 MJ/km: 2%
  • Automóvel desmontado; consumo de 1,68 a 2,07 MJ/km: 2%
  • Automóvel montado; consumo de 1,10 a 1,68 MJ/km: 4%
  • Automóvel desmontado; consumo de 1,68 a 2,07 MJ/km: 5%
  • Automóvel montado; consumo de 1,68 a 2,07 MJ/km: 7%

Com a decisão do Governo, a expectativa da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) é de que o mercado nacional atinja, pela primeira vez na história, 1.000 carros elétricos emplacados em apenas um ano.

O Ford Fusion Hybrid, que também poderia se beneficiar da medida não deverá sofrer alterações no preço, pois, segundo a fabricante, o modelo é importado do México dentro da cota de importação permitida no acordo comercial, evitando sofrer a carga total de imposto.