Depois que a fraude dos dados de emissões dos motores a diesel da Volkswagen foi revelada, as vendas dos modelos equipados com esse propulsor foram suspensas nos Estados Unidos até a fabricante corrigir a falha e passar legitimamente nos testes. E essa correção pode levar meses. Para agravar ainda mais a situação da Volkswagen, as autoridades europeias seguiram o exemplo dos norte-americanos e decidiram suspender a comercialização dos carros com a motorização TDI no Velho Continente.

O número de carros envolvidos não foi revelado, mas, segundo a agência de notícias Reuters, é uma quantidade limitada. Nos Estados Unidos, cerca de 20% dos Volkswagen vendidos neste ano são movidos a diesel – número divulgado até a fraude ser descoberta. O problema para a fabricante, entretanto, é justamente a Europa, onde cerca de metade dos seus carros são vendidos com o motor TDI. No entanto, a boa notícia para a Volkswagen é que apenas os propulsores da família EA189 estão suspensos. Já o lado ruim é que esse motor está em modelos de maior volume de vendas, como o Golf e o Audi A3.

Os veículos maiores utilizam motores que reduzem as emissões graças a uma solução de ureia chamada AdBlue, sendo assim, não precisaram do software adulterado. Ainda, de acordo com a Reuters, a empresa já trabalhar para atualizar o bloco EA189 e, em seguida, voltar a vendê-lo. As correções devem ser reveladas em novembro.

Entenda a fraude da VW

A Volkswagen informa, oficialmente, que 11 milhões de veículos saíram de fábrica com o software capaz de fraudar o resultado dos níveis de emissões. No Brasil, a marca comercializa apenas a picape Amarok com o motor turbodiesel, porém ainda não foi divulgado se o modelo possui ou não o software em questão.