Com o sucesso do HR-V, que em cinco meses de mercado se tornou o SUV mais vendido do Brasil ao tomar a liderança do Ford EcoSport, muita gente deve ter esquecido que a Honda possui outro utilitário esportivo em seu portfólio: o CR-V. O modelo importado do México chegou à linha 2015 (discretamente apresentada no Salão do Automóvel de São Paulo, no final do ano passado) com retoques visuais e novos equipamentos.

Disponível na versão topo de gama EXL com tração integral, que parte de R$ 134.900, o CR-V ganhou para-choques redesenhados, grade frontal retocada e novos faróis com luzes diurnas de LED. Basta uma rápida olhada no SUV para notar a profusão de cromados nos frisos dos vidros laterais, nas molduras dos faróis de neblina, nas maçanetas das portas e na barra que atravessa a tampa do porta-malas.

Já a cabine recebeu materiais de melhor qualidade. A parte superior do painel é coberta com um material emborrachado, enquanto uma peça que imita madeira confere uma aparência mais sofisticada. O botão de partida e a central multimídia com tela sensível ao toque, GPS, câmera de ré e entradas USB e HDMI também são novidades.

Em sua configuração mais completa, o CR-V sai de fábrica com itens comuns a carros de sua faixa de preço: seis airbags, controle de estabilidade, ar-condicionado de duas zonas, direção elétrica, bancos de couro, faróis com acendimento automático, sensor de chuva, rodas de liga leve de 17 polegadas, teto solar elétrico, entre outros. No entanto, essa lista não justifica a falta de mimos como regulagem elétrica para o banco do motorista e espelho interno eletrocrômico.

Sob o capô, o CR-V não sofreu alterações. Ele continua sendo movido pelo conjunto mecânico do Civic: motor 2.0 de 150/155 cv de potência (gasolina/etanol) e câmbio automático de cinco marchas. A diferença em relação ao sedã é o sistema de tração nas quatro rodas que atua sob demanda.

A Honda oferece também a versão LX (R$ 115.100), com menos equipamentos e acabamento mais simples. A marca diz que essa configuração deixará de ser oferecida assim que o lote importado for totalmente vendido.

Capaz de acomodar cinco ocupantes sem aperto, o CR-V possui uma cabine bem acabada, porém sem grandes ousadias de estilo. O carro avaliado contava com revestimento de couro bege nos bancos e nas portas, que dá um ar de maior sofisticação ao SUV.

 

Diferentemente do HR-V, que ao volante lembra um sedã, o CR-V tem posição de guiar mais elevada. Os comandos são bem posicionados e os instrumentos têm boa visualização. A tela do computador de bordo em um nicho no topo do painel mostra as principais informações de consumo e quilometragem do carro e ainda serve para acomodar smartphones quando utilizados como navegador. Falando em navegador, o que vem instalado na central multimídia informa as condições do trânsito em tempo real e possui boa visualização na tela de sete polegadas.

Com uma pegada voltada ao conforto, o CR-V sofre um pouco para embalar os seus quase 1.600 quilos pelo fato de o motor entregar o torque máximo a elevados 4.800 rpm. Na estrada essa falta de fôlego fica evidente em ultrapassagens e nas retomadas de velocidade. Mas após atingir a velocidade de cruzeiro, o SUV deslancha com boa dose de conforto acústico (a 120 km/h o motor funciona a 2.500 rpm).

Honda CR-V EXL

Teste Carsale-Mauá
 
Cidade
Estrada
0 a 100 km/h
Retomada 80-120 km/h
Frenagem 100 a 0 km/h
Etanol7,0 km/l 10,9 km/l 11,65 segundos8,47 segundos53 metros
Gasolina8,6 km/l13,1 km/l11,84 segundos8,64 segundos53 metros

A suspensão, independente nas quatro rodas, contribui para o rodar equilibrado do SUV. Apesar da altura elevada, o Honda não inclina em excesso nas curvas e a tração integral atua apenas quando o sistema eletrônico detecta a perda de aderência de alguma das rodas traseiras. Em situações cotidianas, o funcionamento do recurso é praticamente imperceptível.

O Honda CR-V possui as características básicas que os consumidores de utilitários esportivos procuram: robustez, interior espaçoso e versatilidade. No entanto, ele cobra bem caro por isso por ficar situado em uma faixa de preços “perigosa”, onde rivais mais potentes e sofisticados tecnologicamente (leia-se modelos de marcas alemãs, além dos japoneses Subaru Forester e Toyota RAV4) estão posicionados.

Fotos: Guilherme Silva e Divulgação

Ficha técnica

Modelo
Honda CR-V EXL
PreçoR$ 134.900
Motor2.0 16V SOHC i-VTEC
Cilindrada (cm³)1.997
Potência (gasolina/etanol)150/155 cv a 6.300 rpm
Torque (gasolina/etanol)19,3 kgfm a 4.700 rpm/19,5 kgfm a 4.800 rpm
Freios dianteirosDiscos ventilados
Freios traseirosDiscos sólidos
Suspensão dianteiraMcPherson com rodas independentes, braços oscilantes inferiores a geometria triangular e barra estabilizadora
Suspensão traseiraIndependente multi-link
RodasLiga leve de 17 polegadas
Pneus225/65 R17
DireçãoElétrica
Peso em ordem de marcha (kg)1.579
Comprimento (metros)4,58
Largura (m)1,82
Altura (m)1,65
Distância entre-eixos (m)2,62
Tanque (litros)71
Porta-malas (litros)589
TransmissãoAutomática de cinco marchas
TraçãoIntegral sob demanda