A Hyundai apresentou, na última segunda-feira (21), a primeira reestilização do compacto HB20, lançado em 2011. O modelo de visual retocado chega às lojas em outubro custando a partir de R$ 38.995 na versão Comfort 1.0. O sedã HB20S atualizado será apresentado em outra oportunidade.

Confira abaixo os preços da linha 2016 do Hyundai HB20:

HB20 Comfort 1.0 – R$ 38.995
HB20 Comfort Plus 1.0 – R$ 42.595
HB20 Comfort Style 1.0 – R$ 46.345
HB20 Comfort Plus 1.6 – R$ 48.745
HB20 Comfort Plus 1.6 A/T – R$ 52.745
HB20 Comfort Style 1.6 – R$ 51.845
HB20 Comfort Style 1.6 A/T – R$ 55.845
HB20 Premium 1.6 A/T – R$ 59.445
HB20 Premium 1.6 A/T (couro) – R$ 61.035
HB20 Premium 1.6 A/T (couro + multimídia) – R$ 63.535

A atualização estética foi inspirada no conceito R-Spec, apresentado no final do ano passado durante o Salão do Automóvel de São Paulo. A grade frontal ganhou formato hexagonal e um contorno cromado, enquanto o para-choque dianteiro passa a contar com uma abertura inferior maior. O para-choque traseiro também mudou e, com isso, o carro ficou dois centímetros maior.

Por dentro o acabamento foi revisto e os bancos ganharam novos revestimentos. A versão topo de gama Premium 1.6 pode ser equipada com revestimento em couro marrom (R$ 1.590).

Falando na variante mais completa, o modelo conta com faróis com assinatura em LED, painel em duas tonalidades, ar-condicionado digital, rebatimento elétrico dos retrovisores e airbags laterais.
O computador de bordo foi atualizado e passa a contar com aviso de revisão pendente, enquanto a central multimídia BlueNav (R$ 2.500) ganha conectividade com smartphones por meio do CarLink (Mirror Link) e Apple CarPlay.

Em termos de mecânica, as versões com motor 1.0 receberam pequenas melhorias que proporcionaram cerca de 3% na economia de combustível. Já as configurações equipadas com o bloco de 1.6 litro ganharam sistema de partida a frio, que elimina o tanquinho auxiliar de gasolina. Mas a principal novidade é a adoção de um câmbio automático de seis marchas, que, segundo a Hyundai, melhorou os números de consumo do compacto – nota A nos testes do Inmetro.

Impressões

Equipado com motor 1.6 e o novo câmbio automático de seis marchas, o HB20 tem uma proposta de condução que privilegia o conforto. Porém, em algumas situações, esse acerto pode incomodar os motoristas que preferem uma dirigibilidade mais voltada à esportividade devido à direção demasiadamente leve a velocidades mais altas e ao acerto de suspensão macio. Deixando essas características um pouco de lado, o compacto apresenta desempenho suficiente para executar retomadas e ultrapassagens na estrada sem dificuldades. O novo câmbio trabalha de maneira suave, com trocas praticamente imperceptíveis.

A versão avaliada, a Premium, conta com bom acabamento interno, com materiais de boa qualidade, enquanto os bancos em couro marrom passam a sensação de um carro de categoria superior. A sensação é reforçada pelos detalhes em cromo acetinado e black piano (plástico preto brilhante).

A disposição dos itens no painel facilita a vida do motorista, não sendo necessária a distração para utilizar algum dos equipamentos. A central multimídia, atualizada para a linha 2016, aceitará comando de voz com a tecnologia CarPlay da Apple, prevista para o ano que vem.

Ainda assim, apesar da adição de equipamentos como o ar-condicionado digital e airbags laterais, para o objetivo da Hyundai em diminuir a distância nas vendas para o Chevrolet Onix, desembolsar R$ 63.535 para contar com o HB20 completaço é muito dinheiro, uma vez que o rival em sua versão mais cara – também com câmbio automático de seis velocidades, porém, com motor 1.4 – custa R$ 54.240.

Por outro lado, a versão intermediária também com o bloco 1.6, mas utilizando um novo câmbio manual de seis velocidades, batizada de Comfort Plus, deixa um pouco a desejar no acabamento predominado por plástico.

No entanto, o conjunto mecânico está melhor acertado, com boas acelerações e retomadas. Ambos os câmbios utilizam a sexta marcha em regime Overdrive. Ou seja, ao engatá-la, os giros do motor despencam para a casa dos 2.000 rpm para priorizar a economia de combustível e, consequentemente, obrigando reduções de marchas para ganhar fôlego e realizar ultrapassagens ou retomar velocidade com segurança.

Fotos: Divulgação e Renan Rodrigues
Viagem e teste-drive a convite da Hyundai Motor Brasil