Bem-sucedido no mercado brasileiro, o Hyundai ix35 chega à linha 2016 com mudanças estéticas relevantes e novidades de conteúdo. Rebatizado de New ix35, o SUV deixa de seguir o estilo do modelo vendido na Europa e nos Estados Unidos para adotar o visual da versão coreana, e chega às concessionárias nesta semana custando a partir de R$ 99.990 na versão de entrada, R$ 109.990 na configuração intermediária e R$ 122.990 na variante Top, a mais completa.

Fabricado em Anápolis (GO) pelo Grupo Caoa (responsável pela linha de importados da Hyundai e também pela produção do veterano Tucson e do caminhãozinho HR no país), o New ix35 estreia com uma série especial de lançamento limitada a 300 unidades. Chamada de Launching Edition, a variante é baseada nas versões intermediária ou Top e está disponível na exclusiva e chamativa cor laranja metálico, entre outras tonalidades.

Arraste a barra abaixo e confira como ficou o New ix35 em relação ao anterior:

O novo visual chama a atenção pelo conjunto óptico com luzes diurnas de LED, faróis de neblina com desenho inspirado nos do Santa Fé, grade frontal renovada com a atual identidade visual da Hyundai e lanternas também com iluminação em LED.

Entre os principais equipamentos de série do New ix35 estão os obrigatórios airbags frontais e freios com ABS, direção elétrica, rádio com conexão Bluetooth e entrada MP3, bancos parcialmente revestidos em couro, chave canivete, retrovisores com rebatimento elétrico, rodas de liga leve de 18 polegadas e ar-condicionado com saída para os bancos traseiros.

Na versão intermediária, o SUV ganha rack de teto, chave presencial, botão de partida do motor, piloto automático, central multimídia com tela em LCD, GPS, câmera de ré e comandos no volante. Para celebrar o lançamento do New ix35, a Caoa Hyundai fabricará 4.500 unidades desta configuração com os airbags laterais e de cortina, disponíveis de série na variante Top, que acrescenta o ar-condicionado automático de duas zonas, bancos dianteiros com regulagem elétrica, teto solar panorâmico, lanternas em LED e controle de estabilidade.

Sob o capô, o SUV manteve o motor de quatro cilindros de 2.0 litros flex, que sofreu alterações para atender às novas normas de emissões. O propulsor teve a potência e o torque com gasolina reduzidos para 157 cv e 19,2 kgfm, respectivamente (antes era 169 cv e 20,4 kgfm). Com etanol, os números agora são 167 cv e 20,6 kgfm ante os 178 cv e 21,8 kgfm anteriores. (potência e torque máximos a 6.200 rpm e 4.700 rpm, respectivamente, com os dois combustíveis). A transmissão é automática de seis marchas com opção de trocas manuais na alavanca.

Vale lembrar que o New ix35 é uma versão atualizada da segunda geração do Tucson, vendido no Brasil há dez anos e fabricado em Anápolis desde 2010, quando ganhou a tecnologia bicombustível. Falando em Tucson, o SUV já ganhou uma terceira geração na Coreia do Sul e na Europa. De acordo com a Caoa Hyundai, o novo modelo poderá ser importado em 2016 para ficar posicionado entre o New ix35 e o grandalhão Santa Fé.

Impressões

Por dentro, o Hyundai New ix35 aparenta estar um pouco mais caprichado que o antecessor. A cabine ainda é repleta de plástico rígido, mas o acabamento é correto. Não há materiais de baixa qualidade e nem peças com rebarbas ou mal encaixadas. Como as mudanças são majoritariamente estéticas e de conteúdo, o comportamento do SUV não mudou. Na cidade, o New ix35 esbanja certa agilidade, levando em consideração o seu peso (1.500 quilos) e porte (4,41 metros de comprimento), mas precisa ganhar um pouco de embalo para deslanchar na estrada. Em situações de subidas ou ultrapassagens, o ideal é trabalhar as marchas no modo manual, uma vez que o câmbio automático leva certo tempo para “entender” que é preciso fazer uma redução devido o acerto que prioriza o conforto. No geral, o SUV cumpre bem a sua proposta de levar os passageiros (quatro adultos viajam sem aperto) com conforto e ainda disponibiliza bons 728 litros de capacidade para bagagem no porta-malas, segundo a fabricante.

De acordo com a Caoa Hyundai, a expectativa é manter a média de 1.600 unidades vendidas mensalmente, sendo que 70% desse total ficará concentrada na versão intermediária – outras duas configurações dividirão igualmente os 30% restantes do mix.

Teste-drive a convite da Hyundai Caoa Montadora

Fotos: Divulgação e Guilherme Silva