A Mitsubishi Material, fornecedora global de ferramentas de corte e parte do Grupo Mitsubishi, se tornou a primeira multinacional japonesa a se desculpar por usar prisioneiros do exército americano como escravos durante a Segunda Guerra Mundial.

O pedido de desculpas aconteceu no último domingo (19), durante um evento especial no Museu da Tolerância em Los Angeles, nos Estados Unidos. Na ocasião, o diretor executivo da empresa, Hiraki Kimura, pediu perdão pelos “trágicos acontecimentos de nosso passado”. Kimura ainda se desculpou pessoalmente com James Murphy, um sobrevivente de 94 anos de idade que trabalhou em minas de cobre da Mitsubishi.

“Este é um dia glorioso”, comentou ele. “Há 70 anos, nós queríamos isso.” Durante a guerra, cerca de 12 mil prisioneiros foram obrigados a trabalhar em mais de 50 locais no Japão, sendo que cerca de 10% deles morreram”, disse Murphy.