Enquanto no Brasil o Ford EcoSport é um modelo consolidado e com bons números de vendas há mais de uma década, na Europa a segunda geração do SUV precisou passar pela sua primeira atualização cerca de um ano depois do seu lançamento para tentar melhorar o seu desempenho naquele mercado.

A principal novidade é a opção de comprar o modelo sem o estepe pendurado na tampa traseira. Com outras atualizações, que incluem melhorias mecânicas e de acabamento, o modelo parte de 14.245 libras britânicas (aproximadamente R$ 70.049 em conversão simples).

Por dentro, o EcoSport europeu recebeu um painel de instrumentos redesenhado, com regulagem da intensidade da iluminação e acabamento com apliques cromados. De acordo com a Ford, o isolamento acústico também foi melhorado.

Para a versão topo de gama Titanium, a fabricante oferece o pacote Winter, que inclui para-brisa, espelhos externos e bancos dianteiros com aquecimento.

Já a parte mecânica recebeu melhorias nos sistemas de assistência da direção elétrica e no controle eletrônico de estabilidade. Apesar de ser um utilitário esportivo compacto, o EcoSport europeu teve a suspensão rebaixada em 10 milímetros para favorecer a dirigibilidade.

Na Europa, o jipinho é equipado com os motores a gasolina de 1.5 litro de 111 cv de potência e 1.0 EcoBoost de 125 cv. A variante de 1.5 litro turbodiesel passou por melhorias e ganhou 5 cv, chegando a 95 cv no total. A Ford diz que esse propulsor entrega consumo médio de 22,7 km/l em ciclo combinado (urbano e rodoviário).

EcoSport brasileiro mantém estepe na tampa e ganhará versão 1.6 automática

De acordo com uma fonte ligada à Ford do Brasil, não existe a possibilidade de o EcoSport nacional perder o estepe na tampa, pois a roda é considerada pelos clientes como a principal marca registrada do modelo.

Nos próximos meses, o SUV ganhará por aqui variantes equipadas com o motor de 1.6 litro e o câmbio automatizado de seis marchas e dupla embreagem. Por enquanto, essa transmissão é restrita às versões com o propulsor de 2.0 litros.