Ford-autonomos1-e1435846806946

 

A Ford relatou avanços no desenvolvimento de novas tecnologias. Além de ter novidades relacionadas aos veículos autônomos e ao uso do processo de impressão em 3D para a produção de peças, a fabricante norte-americana informa que o aplicativo MyFord Mobile, já disponível para smartphones, ganhará uma versão para smartwatches, incluindo o Android Wear. O objetivo do aplicativo é permitir que o motorista acesse informações do veículo, como a carga da bateria (no caso de modelos híbridos ou elétricos) e localize onde ele está estacionado.

Com relação ao desenvolvimento de veículos autônomos, a Ford relata que a questão deixou de ser um esforço de pesquisa para se tornar um programa de engenharia avançada dentro da empresa. “Nos próximos cinco anos, vamos expandir as tecnologias de assistência ao motorista em toda a nossa linha de produtos”, diz Raj Nair, vice-presidente de Desenvolvimento do Produto Global da Ford.

relogio-ford-ok

 

De acordo com a Ford, a tecnologia de direção autônoma já está na segunda das três fases do processo para chegar ao mercado. Vale lembrar que o sistema de assistência de pré-colisão com detecção de pedestres, já disponível no Mondeo na Europa, será lançado nos Estados Unidos no ano que vem, dentro do plano da Ford de oferecer esse equipamento na maioria de seus veículos globalmente até 2019.

Atualmente a fabricante também estuda a área de impressão em 3D de peças de veículos e, inclusive, colabora com “start-ups” e empresas do Vale do Silício, nos Estados Unidos. Desde dezembro de 2014, a Ford trabalha com a Carbon3D, que desenvolveu a tecnologia “Continuous Liquid Interface Production” (CLIP) de impressão 3D para a produção de peças a partir de resinas de cura UV, em velocidade 25 a 100 vezes mais rápida que os processos convencionais. “Essa tecnologia nos permite criar peças especiais para protótipos de veículos – e talvez até peças de produção – mais rápido que nunca, para que possamos entregar veículos novos para os clientes ainda mais rápido”, afirma Raj Nair.