Após certo mistério, a Mercedes-Benz finalmente apresentou o GLC, que chega para substituir o GLK. O corpo curvilíneo segue bem os traços do crossover de entrada GLA, enquanto o interior apresenta um design moderno, sempre com materiais de alta qualidade.

Por falar em interior, o painel conta com um elegante console central, bem como um sistema de infotainment equipado com telas de 7 ou 8,4 polegadas. Há também uma variedade de novos revestimentos para os bancos, entre eles, couro natural ou napa. O teto panorâmico pode receber acabamento de alumínio, fibra de carbono ou madeira.

O novo Mercedes-Benz GLC conta com 1.18 metros de entre eixos, o que o torna maior que o GLK, dessa forma, os passageiros do banco traseiro contam com mais espaços para as pernas. As portas traseiras possuem aberturas maiores, o que melhora a entrada e saída do veículo. A capacidade do porta-malas é de 1.600 litros.

Há três versões que podem ser consideradas padrões para os principais mercados:

– GLC 220d 4MATIC com 170 cv e 40,7 kgfm de torque
– GLC 250d 4MATIC com 204 cv e 50,9 kgfm de torque
– GLC 250 4MATIC com 211 cv e 35 kgfm de torque

Há também a versão plug-in híbrida GLC 350 4MATIC que usa um motor a gasolina de 211 cv e um bloco elétrico que rende até 116 cv, totalizando 327 cv de força. Esta configuração permite que o SUV acelere de 0 a 100 km / h em 5,9 segundos, antes de atingir a velocidade máxima de 235 km / h. O modelo é capaz de viajar até 34 km somente no modo elétrico.

Por outro lado, os consumidores americanos, receberão as versões GLC 300 e GLC 300 4MATIC, que apresentam usam um motor turbo de 2.0 litros e quatro cilindros, sendo capaz de desenvolver 241 cv e entregar 37 kgfm de torque.