porsche918xcarrera

Realizada no último dia 16, na pista de testes da Embraer, em Gavião Peixoto (SP), a segunda etapa da temporada 2015 da Driver Cup (competição realizada anualmente em autódromos e aeródromos onde donos de superesportivos participam de provas de volta rápida e velocidade máxima) foi palco de uma disputa entre o emblemático Porsche Carrera GT e o seu sucessor, o híbrido 918 Spyder.

Os dois carros arrancaram ao mesmo tempo na pista de quase cinco quilômetros de extensão, mas a diferença de desempenho foi gritante a favor do 918 Spyder, que deixou o antecessor para trás da arrancada até o final da corrida (que pode ser vista abaixo no vídeo publicado pelo canal Exclusivos no Brasil). Além da diferença de potência, o modelo híbrido conta com dois motores elétricos que despejam o torque instantaneamente nas quatro rodas por meio de um sistema de tração integral e do câmbio automatizado de sete velocidades e dupla embreagem.

O 918 Spyder foi lançado em 2013 para substituir a vaga de supercarro da Porsche deixada pelo Carrera GT (produzido entre 2003 e 2007). O modelo é equipado com um motor de 4.6 litros V8 a gasolina, que desenvolve 608 cv. A potência chega a 887 cv graças à combinação de dois propulsores elétricos, que geram 285 cv, enquanto o torque atinge os 130,5 kgfm. A Porsche afirma que o bólido vai da inércia aos 100 km/h em 2.6 segundos e pode chegar a 345 km/h de velocidade final.

Já o Carrera GT conta com um bloco de 5.7 litros V10 capaz de entregar 605 cv e 61 kgfm, gerenciados às rodas traseiras por uma transmissão manual de seis marchas. O superesportivo acelera de 0 a 100 km/h em 3.9 segundos e atinge a velocidade máxima de 330 km/h.

No Brasil, três unidades do 918 Spyder foram comercializadas por aproximadamente R$ 5 milhões cada.