golf_variant1

Em meio à avalanche de utilitários esportivos e crossovers compactos estreando no Brasil, a Volkswagen opta por seguir um caminho alternativo. A aposta da marca alemã é na perua Golf Variant.

Fabricado no México, o modelo baseado na sétima geração do Golf chega às concessionárias no final de maio nas versões Confortline (a partir de R$ 87.490) e Highline (R$ 94.990) para ocupar o lugar deixado pela antiga Jetta Variant, derivada da quinta geração do hatch e que deixou de ser oferecida no país em 2013.

Sob o capô, as duas configurações da perua contam com o motor de 1.4 litro turbo a gasolina da família EA211, que desenvolve 140 cv de potência a 4.500 rpm e 25,5 kgfm de torque a 1.500 rotações. A transmissão disponível é a automatizada DSG de sete marchas e dupla embreagem.

 

De série, a Golf Variant vem equipada com airbags (frontais, laterais, de cortina e para os joelhos do motorista), controles eletrônicos de tração (ASR) e estabilidade (ESC), assistente de partida em rampa, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, volante revestido em couro, direção elétrica, sistema start/stop, rodas de liga leve de 16 polegadas, sistema de áudio com tela sensível ao toque de 5,8 polegadas, CD player, Bluetooth, entre outros.

 

 

A configuração Comfortline conta com dois pacotes de equipamentos, o Elegance (R$ 4.500) e o Exclusive (R$ 8.890). O primeiro é composto por volante multifuncional, borboletas para as trocas manuais de marchas, controlador de velocidade, faróis e limpadores de para-brisa com acionamento automático e rodas de 17 polegadas (pneus 225/45 R17). Já o Exclusive acrescenta a esses itens o sistema de navegação e comando de voz. A perua ainda pode ser equipada com teto solar panorâmico (R$ 5.300).

A versão Highline adiciona ao pacote básico da Comfortline os bancos revestidos em couro, controlador de velocidade, ar-condicionado automático de duas zonas, volante multifuncional, espelho interno fotocrômico e retrovisores externos com rebatimento elétrico. São oferecidos para a Highline três pacotes de equipamentos. O Elegance (R$ 5.820) conta com sistema de entretenimento, chave presencial, rodas de 17 polegadas e seletor de perfil de condução, enquanto que o Exclusive (R$ 15.700) agrega faróis bixenônio e controle de cruzeiro adaptativo com frenagem de emergência em baixa velocidade. Já o Premium (R$ 26.670) complementa os itens anteriores com sistema de entretenimento com tela de oito polegadas, assistente de estacionamento (Park Assist), banco do motorista com ajustes elétricos e detector de fadiga.

 

Vale destacar que na opção mais equipada, a perua Golf pode chegar a quase R$ 130.000, com o acréscimo da pintura (R$ 1.700 para a pintura da carroceria perolizada ou R$ 1.200 para a metálica), rodas de 17 polegadas (R$ 1.700), teto solar (R$ 5.300) e pacote Premium (R$ 26.670) Ao todo estão disponíveis nove cores (cinco metálicas, três sólidas e uma perolizada) para a carroceria.

Durante o teste-drive com a Golf Variant na pista da fazenda Capuava, em Indaiatuba (SP), a perua mostrou um comportamento similar ao do hatch. Os 30,7 centímetros a mais que ela ganha na traseira (total de 4,56 metros de comprimento) não tiram a diversão ao volante. Ao contrário, o modelo encara bem as curvas e reage com agilidade nas acelerações e retomadas.

O desempenho semelhante da perua com o Golf hatch é explicado por três fatores: ela é construída sobre a mesma plataforma modular MQB do hatch, portanto, manteve a mesma distância entre-eixos (2,63 metros); utiliza o motor idêntico, com números de potência e torque exatamente iguais e possui transmissão com as mesmas relações de marchas. Se por um lado ela é mais pesada que o irmão (119 kg na versão Highline), oferece um compartimento de bagagens mais amplo ( 605 litros, podendo ser ampliado para 1.620 l com o rebatimento do banco traseiro.) Os números da fabricante alemã garantem que a perua acelera de 0 a 100 km/h em 9,5 segundos e atinge a velocidade máxima de 205 km/h.