Lamborghini-Huracan_LP610-4_2015_1280x960_wallpaper_01

Para se livrar das altas taxas de importação para veículos com grandes motorizações, a Lamborghini e a Audi (empresas do Grupo Volkswagen) cogitam criar versões do Huracan e do R8 (galeria abaixo) equipadas com o bloco de cinco cilindros turbo da marca alemã para reduzir os preços dos modelos no mercado asiático.

Segundo a edição americana da revista Car and Driver, a medida poderá ser tomada, principalmente, para que as vendas desses modelos não sejam comprometidas na China, país onde os impostos para superesportivos aumentam consideravelmente o preço final dos carros.

Atualmente equipados apenas com o motor de 5.0 litros V10 de 550 cv de potência, Huracan e R8 poderão receber uma versão melhorada no propulsor de 2.5 litros de cinco cilindros turbo, apresentada recentemente no conceito Audi TT Clubsport Turbo. No protótipo, esse motor gera 600 cv de potência e aproximadamente 67 kgfm de torque.

 

“Algum tipo de sobrealimentação elétrica será necessária para qualquer motor pequeno, mesmo dotado de turbocompressor”, disse Peter Hollerweger, responsável pela divisão de alto desempenho da Audi, a Quattro. “O problema com a sobrealimentação elétrica, entretanto, é que as baterias acrescentam muito peso ao carro”, explicou o executivo.

A adoção de uma motorização menor vai contra a postura adotada pela Audi recentemente. A marca deixou de oferecer o bloco V8 na nova geração do R8 por conta da baixa demanda por esse propulsor.