A General Motors mal revelou o novo Chevrolet Camaro e o designer húngaro da X-Tomi já imaginou como serão as versões conversível e a esportiva Z/28 da sexta geração. As projeções são bem realistas, ao menos na configuração de teto retrátil, uma vez que as fabricantes concentram as principais modificações estéticas na capota. Quanto ao Camaro Z/28, a versão digital ficou empolgante, mas teremos de esperar pelo trabalho da GM para sabermos como ele realmente ficará.

 

Vale lembrar que, assim como o novo Ford Mustang, o Camaro entra na era do downsizing, com o objetivo de aumentar a eficiência reduzindo o consumo e as emissões, e passa a utilizar uma motorização de quatro cilindros de 2.0 litros turbo. O propulsor, que pode causar polêmica entre os puristas do modelo, gera 278 cv de potência e 40,7 kgfm de torque.

Além do bloco de quatro cilindros, o muscle-car terá à disposição o motor de 3.6 litros V6 de 340 cv e 39,2 kgfm, dotado do sistema que desativa dois dos seis cilindros. Já a versão topo de gama SS mantém a motorização de 6.2 litros V8, porém aprimorada para render 461 cv (o atual entrega 426 cv) e 64,4 kgfm de torque. A versão conversível, que só deve ser apresentada no próximo ano, deverá manter as opções de motores.