A Peugeot descartou a possibilidade de desenvolver uma nova geração para o cupê RCZ. A decisão foi tomada devido ao plano da fabricante francesa de reduzir o seu portfólio de veículos de 26 para 13 modelos até 2022. Com essa estratégia, a marca pretende focar seu posicionamento em veículos de maior volume.

Segundo Maxime Picat, chefão da Peugeot, entrar em um segmento de nicho é tarefa para as marcas premium. “O RCZ é encantador, mas nós vamos focar em fazer o melhor possível para os nossos principais modelos, a partir do 108 para cima”, afirmou em entrevista a revista britânica Autocar. O executivo informou que os 13 modelos mais importantes da gama atual são responsáveis por 95% das vendas e 100% dos lucros, o que justifica a decisão de enxugar o portfólio. Picat não informou quais serão os outros veículos que terão a produção descontinuada, mas garantiu que o objetivo é o corte dos modelos de nicho.

Lançado no Brasil em 2011, o RCZ ganhou a sua primeira reestilização em 2013. Atualmente, o cupê é oferecido com motorização de 1.6 THP de 165 cv e câmbio automático sequencial de seis marchas ao preço sugerido de R$ 155.090.