Apesar de expressar incertezas no início, a General Motors decidiu manter o nome Bolt para o seu compacto elétrico, apresentado pela primeira vez no Salão de Detroit, em janeiro. A polêmica quanto ao nome do modelo veio à tona devido as semelhanças de sonoridade com o também elétrico da marca, o Volt.

Segundo Tim Mahoney, chefe de Marketing da fabricante norte-americana, estudos feitos com potenciais consumidores do novo elétrico chegaram a conclusão de que a melhor escolha é manter o nome Bolt já que a identificação com o outro elétrico de nome parecido se mostrou positiva.

O lançamento do Bolt está previsto para acontecer em 2016. O modelo deverá chegar às lojas partindo de US$ 30 mil, o equivalente a R$ 90,3 mil.

Fabricado com materiais leves, como alumínio, fibra de carbono e magnésio, o conceito é equipado com um motor elétrico com autonomia de até 322 quilômetros. A intenção da GM é comercializá-lo não apenas nos Estados Unidos, mas também na Europa e possivelmente em mercados emergentes.

O desenho externo do Bolt lembra o de um pequeno monovolume, enquanto o visual da cabine é minimalista. O conceito conta com uma tela de LCD de 10 polegadas sensível ao toque e painel de instrumentos digital. O Bolt é equipado com uma tecnologia que permite a partida do motor, localização do veículo, entre outros recursos, por meio de um smartphone.