2Quadro
O Brasil possui clima diversificado, e em certas épocas do ano pode haver uma maior intensidade de chuvas. Com isso, recomendamos avaliar o estado dos componentes que protegem o habitáculo de nossos veículos contra infiltração de água.

Com o tempo e a falta do devido cuidado, as borrachas tendem a se degastar independentemente de sua espessura. Por isso, analise os pontos em que pode ocorrer infiltração e onde se localizam as borrachas de vedação.

Essas borrachas são chamadas geralmente de guarnição, estão localizadas nas portas (fixas na área de contato entre a carroceria e a porta), tampas (fixas na área de contato entre o capô e o painel frontal e também na área de contato entre a tampa do porta-malas e a carroceria), vidros (na área que circunda as janelas laterais. vigia e para-brisa), cofre do motor (próximo ao painel corta-fogo ou fixa na grade do para-brisa “churrasqueira’).

O cuidado com as guarnições pode ser feito de forma fácil. Recomenda-se simplesmente o uso de pano umedecido em água na sua limpeza. Já em casos de impregnação de sujeira, recomenda-se a limpeza com um pouco de detergente neutro. A utilização de silicone líquido pode até proteger a borracha a longo prazo, mas acaba por impregnar mais resíduos.

Não há um tempo de vida pré-determinado para as guarnições. Assim como demais borrachas elas sofrem com tempo de uso e calor excessivo. Por isso. podem até encolher de tamanho e a vedação fica insuficiente. Borrachas com ondulações e deformações também deixam a água e resíduos adentrarem o habitáculo. Nesses casos, o ideal é trocar as guarnições em concessionárias ou oficinas especializadas em borrachas e para-brisas.

No caso do para-brisa, além da limpeza da guarnição, é importante sinalizar que atualmente os veículos possuem o para-brisa colado na carroceria. Havendo necessidade de uma eventual substituição é de extrema importância a realização de um bom trabalho na reposição, tanto do para-brisa quanto da guarnição, para que não ocorram infiltrações.

Existem selos de vedação que necessitam de uma verificação visual. Esses selos se encontram no painel corta-fogo do motor, local por onde passam chicotes e cabo de embreagem. Abaixo do assoalho também existem selos, que tapam os orifícios responsáveis pela saída de elementos químicos após a pintura na montadora. Embora sejam herméticos, podem ter se soltado ou deformada. Esses sim, podem ser grandes causadores de entrada de água.

Veículos que possuem teto-solar também podem sofrer infiltrações pela guarnição que circunda a “janela superior”. Para evitar, é necessária a utilização de uma vaselina específica, encontrada em lojas especializadas em tetos-solares.

Na situação de veículos que sofreram uma colisão, é preciso checar na reparação a distância entre os vãos da carroceria com as peças adjacentes, portas e tampas. Com intuito de deixa-los no padrão de fábrica, evitando infiltrações através dos vãos.