Após gastar R$ 1,2 bilhão para construir a sua fábrica no Brasil, a Chery parece estar pronta para lançar o primeiro carro de origem chinesa fabricado em solo nacional. Após o flagra publicado por UOL Carros, onde é possível ver as versões hatchback e sedã do modelo Celer, o Carsale recebeu fotos da variante três-volumes rodando na Rodovia Raposo Tavares, em São Paulo. O flagra foi feito pelo leitor Felipe Vilhena.

Com visual renovado, o Celer é equipado com o motor Acteco de 1.5 litro que chegou à potência de 108 cv e 14,2 kgfm de torque com a adoção da tecnologia bicombustível . A marca pretende continuar usando a principal estratégia utilizada pelas fabricantes chinesas no Brasil: modelos bem equipados com preço abaixo dos concorrentes mais tradicionais.

 

As metas para o primeiro ano de funcionamento da fábrica são ambiciosas: produzir 50 mil carros e chegar a 100 revendas Chery até o final de 2015 (até o início do ano eram 67). As versões brasileiras da nova geração do Celer (hatch e sedã) deveriam entrar em produção comercial em dezembro do ano passado. Além disso, a unidade também produzirá a nova geração do subcompacto QQ, que começará a ser vendida apenas no segundo semestre.

Por ora, a produção se inicia com índice de 50% de nacionalização, mas o plano é alcançar 70% até 2016. Com isso, a Chery pretende não só abastecer a rede nacional, mas também exportar para países como Argentina, Colômbia, Equador, Peru, Uruguai e Venezuela. Uma das estratégias da marca chinesa é se tornar responsável por 3% das vendas no País. Para isso, será necessário quadruplicar as vendas, uma vez que atualmente a montadora representa 0,65% do mercado.