Amarok Dark Label (22)

Quinta picape mais vendida do Brasil, a Volkswagen Amarok chega à linha 2015 trazendo, além da série especial Dark Label, novidades de conteúdo que a aproxima dos carros de passeio. Itens como faróis bixenônio com luzes diurnas de LED e câmera de ré estarão presentes na versão topo de gama Highline que, assim como a Dark Label, chega às concessionárias na segunda quinzena de abril. Os preços oficiais ainda não foram divulgados pela marca alemã.

Na linha 2015, a Amarok passa a sair de fábrica equipada com controles eletrônicos de estabilidade e tração em todas as versões (S, SE, Trendline e Highline). O pacote de segurança adiciona ainda assistente de partida em rampa e controle de frenagem em descidas. Todas as configurações podem ser equipadas com um engate removível, vendido como opcional. As variantes Trendline e Highline passam a ser equipadas com faróis de neblina com função de iluminação em curvas.

Baseada na versão intermediária Trendline com câmbio automático, a Amarok Dark Label terá produção limitada em mil unidades. Apesar do nome, a edição especial leva a cor preta apenas nas capas dos retrovisores, nos estribos, nas lanternas escurecidas e no conjunto de rodas pintadas de preto oferecido entre os opcionais. A picape conta ainda com airbags laterais, santoantônio com barra de proteção para o vidro traseiro e bancos revestidos em Alcantara (camurça sintética). De acordo com a Volkswagen, a série Dark Label tem preço inicial estimado em R$ 140 mil.

 

 

Já a versão mais cara, a Highline (deverá manter o preço na faixa dos R$ 153 mil), ganhou novas rodas de 19 polegadas, sistema de entretenimento com câmera de ré, sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, além de regulagem elétrica do facho dos faróis e grade frontal com acabamento preto brilhante e friso duplo cromado. A Volkswagen diz que essa versão não conta com airbags laterais pelo fato do revestimento de couro dos bancos não permitir a instalação do equipamento.

As motorizações da Amarok não receberam atualizações. A versão de entrada S, nas configurações de cabines simples e dupla, ambas 4×4, leva sob o capô o bloco de quatro cilindros de 2.0 litros turbodiesel, que desenvolve 140 cv de potência a 3.500 rpm e 34,7 kgfm de torque a 1.600 giros. A transmissão é manual de seis marchas.

As variantes SE, Trendline e Highline são equipadas com o mesmo propulsor, porém, com dois turbos. A potência é elevada para 180 cv e o torque chega a 40,8 kgfm a 1.500 rpm com câmbio manual. Com a caixa automática automática (opcional para a Trendline e de série na Dark Label e Highline), o torque sobe a 42,8 kgfm a 1.750 rpm.

Impressões

Apesar das dimensões (são 5,25 metros de comprimento, 1,82 m de altura e 1,94 m de altura), a Amarok em pouco lembra as suas rivais no que diz respeito à dirigibilidade. Ao volante, a picape da Volkswagen é a que mais se assemelha a um carro de passeio (guardadas as devidas proporções, obviamente). O volante tem regulagens de altura e profundidade e a posição de dirigir pode ser ajustada de forma que o banco não fique tão elevado. O rodar do modelo de mais de duas toneladas passa a sensação de robustez comum às picapes, mas aparenta ser mais equilibrado que o da concorrência a velocidades mais altas.

Equipada com o sistema de tração integral permanente 4Motion, a Amarok Dark Label (modelo testado) mostra desenvoltura ao rodar em rodovias. As acelerações são vigorosas, uma vez que o motor trabalha em boa sintonia com o câmbio automático de oito velocidades. A agilidade da picape é favorecida pelas relações mais curtas nas três primeiras marchas. Em curvas, a inclinação da carroceria é discreta (levando em consideração o porte do veículo) e praticamente não há o receio da traseira escapar.

De acordo com a Volkswagen, a Amarok Dark Label acelera de 0 a 100 km/h em 10,9 segundos e atinge a velocidade máxima de 179 km/h.

Amarok Dark Label (37)

Na parte off-road do teste, os recursos eletrônicos fizeram praticamente todo o serviço. Para superar os obstáculos mais difíceis, o bloqueio eletrônico do diferencial dianteiro trabalha em conjunto com o mecânico do eixo traseiro. O bloqueio traseiro, por sua vez, pode ser acionado por um botão para dividir o torque entre as rodas de trás. No console central há ainda o botão “OFF-ROAD”, que configura os parâmetros do câmbio, freios e controles de estabilidade e tração para aumentar a capacidade da picape. O sistema atua no ABS (anti-travamento) para permitir rápidas travadas nas rodas em frenagens de emergência na terra ou areia. Os pequenos montes de criados no piso ajudam a reduzir o espaço de parada da picape.

Bem equipada na linha 2015, a Volkswagen Amarok aumenta a sua competitividade no segmento, podendo chegar a posições superiores no ranking de vendas. O modelo combina um bom conjunto de itens de segurança, desempenho condizente para a sua proposta e dirigibilidade superior às das rivais. No entanto, as suas versões mais caras poderiam ser equipadas com regulagem elétrica dos bancos, mais airbags e até mesmo singelos espelhinhos com iluminação no para-sol.

Teste-drive a convite da Volkswagen.

Ficha técnica
Motor4 cilindros, 2.0 litros, 16 válvulas
Cilindrada (cm³)1.968
Potência (etanol/gasolina)180 cv
Torque42,8 kgfm
Freios dianteirosDisco ventilado
Freios traseirosTambor
Suspensão dianteiraMcPherson
Suspensão traseiraEixo rígido tipo com feixe de molas de dois estágios
DireçãoHidráulica
RodasLiga leve 17 polegadas
Pneus245/65 R17
Peso em ordem de marcha2.132 kg
Comprimento (metros)5,25
Largura (m)1,94
Altura (m)1,82
Distância entre-eixos (m)3,09
Capacidade da caçamba (litros)1.280
Tanque (litros)80
Ocupantes5
Capacidade de carga1.038 kg
Tração4x4 permanente
TransmissãoAutomática de oito marchas