A Jeep está acelerada. Foram doze meses desde a aparição do Jeep Renegade no Salão de Genebra no ano passado até o seu lançamento no Brasil. E, finalmente, o aguardado utilitário compacto produzido na fábrica de Goiana (PE) está entre nós – embora oficialmente as vendas só comecem no próximo dia 10 de abril.

O Renegade faz a sua estreia no País em um momento em que o segmento em que ele resolveu se meter está pegando fogo: a Honda acaba de lançar o concorrente HR-V, a Renault mostrará no final do mês a reestilização do Duster e a Peugeot fará, na sequência, a apresentação do inédito 2008. Além disso, os estreantes não podem esquecer que os veteranos Ford EcoSport e Chevrolet Tracker estão só de olho nesse movimento.

Mas a Jeep não parece se intimidar com essa turma toda e diz que espera nada menos que a liderança do segmento de utilitários compactos até o final de 2015. Para alcançar o seu objetivo, o Renegade faz questão de reforçar seus diferenciais em relação aos concorrentes: é o único que não deriva de um carro de passeio e que possui opção de motorização a diesel, tem a gama de versões mais ampla e a maior capacidade para encarar desafios off-road. Conheça abaixo os detalhes do Renegade.

IMG_2311

Combinações: motor, câmbio e tração

O Renegade é oferecido em três versões de acabamento: Sport, Longitude e Trailhawk. As duas primeiras configurações podem ser equipadas tanto com o motor 1.8 16V flex ou com o 2.0 turbodiesel, enquanto que a topo de linha está sempre associada ao conjunto diesel.

O motor 1.8 16V flex é o conhecido EtorQ de 130/132 cv (gasolina/etanol), que passou por aprimoramentos e agora entrega 19,1 kgfm de torque (antes 18,9 kgfm) aos 3.750 rpm (antes aos 4.500 rpm) e toda a sua força a partir de 1.500 rpm. De acordo com a Jeep, o propulsor ganhou novos pistões, nova câmara de combustão, novos coletores de admissão e escape, válvulas maiores, velas de ignição menores e o variador de fase no comando de válvulas, por isso, está 5% mais econômico.

A outra possibilidade sob o capô do jipinho é o motor 2.0 MultiJet II turbodiesel de 170 cv a 3.750 rpm e 35,7 kgfm a 1.750 rpm, com turbina VGT, de geometria variável, que combina potência em alta velocidade e torque em baixas rotações.

jeep-renegade-carsale (10)

Em termos de transmissões, são três: manual de cinco marchas, automática de seis e automática de nove. A versão Sport flex é a única com a opção de câmbio manual de cinco velocidades. A Sport flex também pode ter a caixa automática de seis marchas ou quando equipada com o motor diesel recebe o câmbio de nove velocidades. No caso da Longitude flex a caixa é de seis marchas e o modelo a diesel conta com o câmbio de nove. A Trailhawk sempre traz sob o capô o motor diesel e a transmissão de nove marchas.

Há também dois tipos de tração, a 4×2 equipa os modelos flex, com câmbio manual e AT de seis marchas, enquanto os modelos 4×4 são a diesel com transmissão de nove velocidades. Confira abaixo o preço de cada uma das versões.

+Jeep Renegade Sport 1.8 flex (M/T): R$ 69.900

+Jeep Renegade Sport 1.8 flex (A/T 6 marchas): R$ 75.900

+Jeep Renegade Sport 2.0 turbodiesel 4×4 (A/T 9 marchas): R$ 99.900

+Jeep Renegade Longitude 1.8 flex (A/T 6 marchas): R$ 80.900

+Jeep Renegade Longitude 2.0 turbodiesel 4×4 (A/T 9 marchas): R$ 109.900

+Jeep Renegade Trailhawk 2.0 turbodiesel 4×4 (A/T 9 marchas): R$ 116.900

A Jeep já adiantou que em junho a gama do Renegade ganhará uma configuração ainda mais e básica, com preço de R$ 66.900 (motor 1.8 flex). A estreia desta opção acontecerá em junho.

Renegade_Trailhawk-foto_Marcos_Camargo (20)

Visual e interior

Em termos de visual, o Renegade é o mais ousado do segmento. O estilo foi desenvolvido mesclando características do rústico Wrangler com soluções modernas do Cherokee. Não importa o ângulo, você sempre encontrará no Renegade referências ao DNA da Jeep e aos seus 74 anos de história.

Visto por fora o destaque do jipinho é a grade frontal com as sete barras verticais e os faróis arredondados, enquanto que na traseira as lanternas com desenho interno de “X”, inspirado em artigos militares atraem os olhares.

Por dentro não é diferente. A cabine é totalmente descolada, mas sem deixar de ser funcional. Destaque para a utilização de material agradável ao toque no painel central e acabamentos de qualidade por todo o habitáculo. A identificação com o famoso Wrangler aparece em vários detalhes, mas fica evidente na alça de apoio para passageiro, fixada no painel. A frase “since 1941”(desde 1941) grafada na moldura na tela central também não deixa ninguém esquecer as origens do Renegade.

Renegade_Longitude-foto_Marcos_Camargo (16)

Os detalhistas, provavelmente, vão surtar (no bom sentido) tentando encontrar as 25 “surpresas” que fazem referência à história da marca espalhadas por todo o carro. Várias estão no habitáculo, como a o desenho da grade do Willys na moldura dos alto-falantes, um jipinho subindo um morro no cantinho do para-brisa e, se você prestar a atenção, vai encontrar surpresas até no cofre do motor…

Duas soluções diferenciadas do Renegade merecem destaque, o banco do passageiro dianteiro com porta-objetos debaixo do assento e com encosto rebatível (para frente), além do teto solar removível (composto de duas placas de poliuretano), sendo que o painel dianteiro ainda é retrátil eletricamente.

Equipamentos

Desde a versão Sport o Renegade vem equipado com controles de tração e estabilidade, freios a disco nas quatro rodas, sistema Isofix para cadeira infantil, faróis e lanterna traseira de neblina, assistente de saída em rampa, ar-condicionado, direção elétrica, rodas de liga leve de de 16 polegadas com pneus 215/65, volante com ajuste de altura e profundidade, sensores de estacionamento traseiros, sistema de áudio com conexões Bluetooth e USB, freio de estacionamento com acionamento elétrico, só para citar os principais equipamentos.

Na configuração intermediária Longitude, o utilitário recebe sistema de áudio com tela de 5 polegadas sensível ao toque e comando de voz, sistema de navegação GPS, ar-condicionado automático de duas zonas e rodas de liga leve de 17 polegadas com pneus 215/60, entre os principais itens.

Renegade_Longitude-foto_Marcos_Camargo (13)

 

Já a topo de linha acrescenta faróis com regulagem elétrica de altura, ganchos de reboque (2 dianteiros e 1 traseiro), controle de descidas, painel de instrumentos em TFT colorido de 7 polegadas, rodas em liga de 17 polegadas calçadas pneus 215/60 all terrain, suspensão off-road com altura mais elevada do solo, seletor para 5 tipos de terreno, tração 4×4 com reduzida, entre outros.

Não limitar a escolha dos clientes foi algo que a Jeep levou em consideração na hora de compor a gama de versões, opcionais e acessórios do utilitário. Além de oferecer três opções de acabamento, dois motores, três câmbios, dois tipos de tração, possibilitando várias combinações desses recursos, a fabricante ainda dispõe de 60 itens opcionais (sem contar cores e motorização) e 71 acessórios.

Primeiras voltas

Feito sob a plataforma batizada de Small Wide 4×4, que também é utilizada no Fiat 500X, o Jeep Renegade é um utilitário compacto com dimensões externas adequadas para o segmento. Dentro da cabine, feita para levar até cinco ocupantes, quem viaja na frente não passa aperto. Atrás, o modelo comporta três adultos (se eles não forem muito grandes), porém há espaço limitado para pernas, o que não acontece com o rival recém-lançado HR-V.

jeep-renegade-carsale (13)

Ao volante é fácil encontrar uma boa posição para dirigir, já que ele conta com regulagem de altura e profundidade e o banco também pode ser ajustado em altura. Todos os comandos do painel central estão posicionados de maneira prática, permitindo fácil acesso. O painel de instrumentos possui boa leitura e na versão TFT de 7 polegadas é cheio de informações, cores e charmes (como jipinhos nos seus gráficos).

Já o porta-malas pode ser considerado um vacilo do Renegade. Com apenas 260 litros, ele é o SUV compacto com o menor compartimento da turma. Para se ter uma ideia, seu porta-malas é menor que o de um Fiat Uno, que possui capacidade para até 290 litros.

SUVS compactos

 
Jeep Renegade (Sport)
Honda HR-V
Ford EcoSport
Renault Duster
Comprimento (metros):4,234,294,244,31
Altura (metros):1,661,581,691,63
Largura (m):1,791,771,761,82
Entre-eixos (m):2,572,612,522,67
Porta-malas (litros):260431362 475

O Carsale conseguiu experimentar, brevemente, três versões do SUV, a Trailhawk, a Longitude flex com câmbio AT e a Longitude flex manual. Começamos o teste-drive com a versão topo de linha, com direito a um percurso off-road rigoroso. E o compacto equipado com motor a diesel, câmbio de nove marchas e tração 4×4, mostrou que é capaz de encarar obstáculos severos com facilidade, como buracos, lama, ladeiras íngremes e fazer tudo o que se espera de um jipe da Jeep. Destaque para o conforto da suspensão durante a rodagem e o bom isolamento acústico da cabine, que fez com que os passageiros nem se lembrassem do motor a diesel sob o capô. Em trecho urbano o utilitário é capaz de rodar suavemente. Ponto positivo para a calibragem da direção progressiva.

Com a versão flex automática de seis marchas (a mesma do Fiat 500) o percurso foi menor e estritamente urbano. O Renegade equipado com essa transmissão e o motor flex de 132 cv de potência máxima tem desempenho moderado. Isso porque o modelo pesa quase uma tonelada e meia — são exatos 1.440 kg nessa configuração. Para o uso diário na cidade dá conta do recado, sem empolgar. Já o modelo com transmissão manual faz com que o motorista tenha que abusar das reduções de marchas para conseguir ganhar força na hora de realizar as retomadas e acelerações. Para essa versão, há medições de consumo do Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular (PBEV) do Inmetro. Segundo divulgado, as médias são de 6,7 km/l em percurso urbano e 7,4 km/l em regime rodoviário, com etanol e 9,6 km/l na cidade e 10,7 km/l na estrada, com gasolina.

jeep-renegade-carsale (5)

A Jeep espera um mix de vendas de 22% de versões com o motor diesel (4×4) e 78% com o flex (4×2), sendo que deste último, 75% com câmbio automático e apenas 25% com a caixa manual. Com isso, dá para notar que a maioria dos Renegades tende a ficar mesmo é no asfalto.

Utilitário global da Jeep, com previsão de comercialização em mais de 100 países, o Renegade é a aposta mais forte da marca no Brasil. Inclusive a fabricante não esconde a pretensão de colocar o jipinho na liderança do segmento até o final deste ano. Enquanto não foi dada a largada para as vendas do modelo, o que a Jeep nos conta é que já acumula mais de 25 mil intenções de compra até o momento.

Embora o Renegade tenha atributos de sobra para conquistar uma legião de fãs é cedo para tentar descobrir se ele será, realmente, o mais vendido, afinal a concorrência é grande. A única certeza é de que o clima vai pegar fogo e os dias de folga do EcoSport e Duster acabaram.

jeep-renegade-carsale (21)