Prestes a voltar a fabricar carros no Brasil, a Audi segue a tendência do mercado local e, a exemplo das conterrâneas BMW e Mercedes-Benz, já trabalha no desenvolvimento de uma motorização bicombustível. As imagens enviadas pelo leitor Ricardo Zilz, que flagrou um A1 com emblemas cobertos e as características placas verdes de carros de teste rodando pela Rodovia Carvalho Pinto, na região de Jacareí (SP), dão indícios de que a marca pode estar avaliando a motorização de 1.4 litro turbo com a tecnologia flex. Consultada pelo Carsale, a Audi disse apenas que “não comenta sobre os seus carros em teste”.

Esse propulsor não equipará apenas o A3 Sedan (imagem abaixo) – o primeiro carro da marca a sair da linha de montagem de São José dos Pinhais (PR) -, mas os também nacionalizados Volkswagen Golf e Jetta (atualmente importados do México). Os três modelos devem ser lançados no segundo semestre deste ano.

+ Avaliação: Audi A3 Sedan Attraction 1.4 turbo – desempenho de 2.0 e consumo de 1.0

+ Veja aqui tudo sobre o lançamento do Volkswagen Jetta 2015

Pelo fato de compartilhar o motor 1.4 turbo com o A3 Sedan, é possível que o compacto A1 também seja “contemplado” com a tecnologia bicombustível como um atrativo aos consumidores da marca. No entanto, alguns engenheiros da Audi são contrários à adoção da motorização flex, uma vez que o uso do etanol diminui a eficiência em relação ao consumo de combustível. De acordo com a matéria publicada por UOL Carros em janeiro, a fabricante produzirá carros flex apenas para ficar inserida na tendência do mercado nacional.

a3sedanabre

Os números de potência e torque do motor 1.4 turbo adaptado ainda são um mistério, mas não serão muito distantes dos atuais 122 cv e 20,4 kgfm – no Golf, a calibração atual garante 140 cv e 25,5 kgfm.

A oferta do A3 Sedan flex nacional (e posteriormente o crossover Q3) vai de encontro ao que a concorrência dispõe atualmente. A BMW, por exemplo, já produz em Araquari (SC) os modelos Série 3 e X1 Active Flex. Já a Mercedes-Benz pretende lançar o sedã Classe C e o crossover GLA com a motorização 1.6 turbo bicombustível neste ano, antes mesmo de inaugurar a fábrica de Iracemápolis, no interior do estado de São Paulo.