Fusca

A Volkswagen está adotando medidas para cortar custos em todo o mundo e, por isso, modelos que vendem pouco deverão ser extintos da gama da marca. O primeiro a deixar de existir será o conversível de teto rígido Eos, lançado em 2006 e que nunca conseguiu emplacar em nenhum mercado.

Na última sexta-feira (6), o jornal alemão Der Spiegel, noticiou que a Volkswagen também estuda encerrar a produção da versão de duas portas do compacto Polo a partir da próxima geração, cujo lançamento está previsto para 2017. Dessa forma, a economia seria de aproximadamente 200 milhões de euros (cerca de R$ 665 milhões) de um total de 5 bilhões de euros (R$ 16,6 bilhões) que a empresa pretende reservar em seus cofres. De acordo com a Autonews Europe, o Polo é quarto modelo mais vendido do segmento, mas as vendas de hatches de duas portas diminuíram consideravelmente nos últimos anos na Europa.

O Der Spiegel revela ainda que o atual Fusca (vendido no exterior como Beetle) poderá ter a sua fabricação interrompida por tempo indeterminado. Introduzido em 2011, o modelo não provocou o mesmo impacto e ainda não fez tanto sucesso como o New Beetle, lançado em 1998.

Outro dilema enfrentado por Polo e Fusca é que ambos não são montados sobre a plataforma modular MQB (a mesma de Golf e Passat), o que os coloca na lista de modelos a serem extintos, uma vez que a Volkswagen ainda não decidiu se irá migrá-los para essa estrutura ou descontinuá-los.