Apresentada na semana passada, durante o Salão de Genebra, a nova geração do Audi R8 chamou a atenção da imprensa especializada por ser equipado apenas com motorização V10 e câmbio automatizado S Tronic. De acordo com Heinz Hollerweger, chefe da quattro (divisão de alto desempenho da marca), a baixa demanda pelos carros equipados com motor V8 e caixa manual foi o principal motivo para a Audi ter “aposentado” essas configurações mecânicas.

Durante entrevista à revista americana Automobile, o executivo explicou que a grande maioria dos compradores do R8 preferiram as versões V10 de modo que a própria Audi se surpreendeu com tamanha demanda. Hollerweger destacou ainda que, além de a transmissão automatizada deixar o carro mais rápido nas pistas, pouquíssimos clientes manifestaram interesse em adquirir um R8 da nova geração com o câmbio manual.

No entanto, o motor V10 não será o único da linha R8, uma vez que a Audi chegou a apresentar a variante totalmente elétrica e-tron. Rumores da imprensa europeia sustentam ainda que a marca pretende lançar uma versão equipada com uma motorização V6 turbodiesel.

O novo R8 compartilha com o Lamborghini Huracán o motor naturalmente aspirado de 5.2 litros V10 a gasolina, que desenvolve 542 cv de potência e 55 kgfm de torque na versão convencional. Já a configuração V10 Plus entrega 610 cv e 57 kgfm. A transmissão é sempre a caixa automatizada S Tronic de sete marchas e dupla embreagem.

De acordo com a Audi, o R8 acelera de 0 a 100 km/h em 3.5 segundos e atinge a velocidade máxima de 320 km/h. O R8 V10 Plus cumpre a aceleração em 3.2 segundos e chega aos 330 km/h.

Os preços do modelo vão de 165 mil (cerca de R$ 552.800) a 187.400 euros (R$ 627.800) no mercado europeu.