A Volkswagen apresentou à imprensa especializada a linha 2015 do Jetta e Touareg. E não foi desta vez que o sedã se tornou nacional e também não foi agora que estreou o aguardado motor 1.4 TSI. O Jetta deve ganhar sua nacionalidade brasileira no próximo semestre, enquanto que o novo propulsor foi confirmado para o modelo, mas a fabricante alemã também não especificou a data da estreia.

Voltando a falar do que é realidade, a linha 2015 do Jetta traz como destaques mudanças visuais na dianteira e traseira. O sedã manteve as motorizações 2.0 litros Total Flex de 116 cv/120 cv e 17,7 kgfm/18,4 kgfm (gasolina/etanol), ligado à transmissão Tiptronic de segunda geração de seis marchas e o 2.0 litros TSI de 211 cv e 28,6 kgfm, que trabalha com o câmbio DSG de seis marchas e dupla embreagem. Além disso, a gama de versões foi ampliada com a chegada da configuração Trendline. As variantes Trendline e Comfortline utilizam o primeiro conjunto mecânico e a Highline o bloco maior com o câmbio de dupla embreagem.

No caso do Touareg também houve alterações estéticas, incluindo nova assinatura noturna, para-choques redesenhados, frisos cromados, novo painel de instrumentos e iluminação ambiente. O modelo é oferecido em duas versões V6 (motor FSI 3.6 litros de 280 cv) e V8 R-Line (motor FSI 4.2 litros de 360 cv), ambos ligados à transmissão automática Tiptronic de oito marchas.

A Volkswagen informou que os modelos chegam às lojas no final do próximo mês, sendo que o Jetta terá preço inicial de R$ 75 mil e o Touareg de R$ 250 mil.

 

Visual do Jetta

As mudanças no sedã não são extravagantes, por isso mesmo conseguiram atualizá-lo mantendo a identidade do modelo. Na dianteira o destaque é novo desenho da grade do radiador, com três filetes, novo para-choque e faróis de neblina retangulares. Já a versão topo de linha, Highline traz luzes diurnas em LED.

Visto de traseira, as alterações se concentram nas lanternas (versão Highline conta com LEDs), para-choque, tampa do porta-malas. Também é novidade a nova tonalidade metálica da carroceria, batizada de “azul silk”.

A Volkswagen afirma que o Jetta 2015 está 15 milímetros maior em comprimento, devido às alterações estéticas. As dimensões passam a ser de 4,65 m de comprimento 1,77 m de largura (sem espelhos) e 1,47 m de altura, com porta-malas de 510 litros.

Por dentro o sedã ganhou alguns mimos, como novo painel de instrumentos e novo volante, com o mesmo formato do Golf – básico para a versão de entrada e intermediária e, exatamente, igual ao do hatch para a topo de linha.

Novo Jetta Comfortline (2)

Primeiras impressões: Jetta Trendline

O Carsale participou de um teste-drive do Jetta com a versão Trendline, nas condições de motorista e passageiro. A primeira impressão que fica ao entrar nesta versão é que a cabine é simples demais no que diz respeito ao acabamento. Por todos os lados há revestimentos de plástico, embora não há o que contestar sobre a qualidade e montagem das peças. O tecido dos bancos também é de um padrão inferior. O que falta mesmo é um pouco de requinte, pois estamos falando de um carro de R$ 75 mil. Por outro lado o conforto dos assentos e a ergonomia são pontos que merecem destaque positivo.

Durante o tempo que estivemos ao volante do sedã, em um percurso de cerca de 30 quilômetros somente em rodovia, foi possível notar que o desempenho do Jetta é apenas modesto. Carregando quatro pessoas e nenhuma carga no porta-malas, o modelo enfrentava dificuldade na hora de ganhar velocidade e fazer as retomadas. O motor de 2.0 litros flex de 120 cv de potência máxima parece subdimensionado para o carro. A transmissão automática Tiptronic de seis marchas trabalha no seu limite para utilizar todo o fôlego do propulsor.

Por outro lado, o rodar é confortável e a estabilidade do sedã é elogiável, graças ao sistema de suspensão bem acertado. Vale destacar que em todas as versões a suspensão traseira é do tipo multilink, com novas molas e amortecedores e calibração específica. Há também freios a disco nas quatro rodas. Essa configuração e a Comfortline são equipadas com direção hidráulica, enquanto a Highline 2.0 TSI é dotada de assistência elétrica. Vale destacar que o Jetta recebeu as cinco estrelas nos testes de colisão do Latin Ncap.

De maneira geral, o Jetta continua sendo um carro confortável, seguro e com a dirigibilidade bem acertada. As versões com o motor 2.0 flex aspirado podem frustar quem procura por uma tocada mais vigorosa. Para estes, é melhor levar o sedã em sua versão topo de linha com o propulsor 2.0 TSI de 211 cv. Caso o consumidor tenha paciência, vale esperar mais alguns meses para a chegada do modelo equipado com o bloco 1.4 TSI, que promete ser uma boa opção intermediária.

Confira abaixo os principais equipamentos de cada uma das três versões:

Trendline – Inclui bancos revestidos em tecido preto, direção com assistência hidráulica, ar-condicionado Climatic, rodas de liga leve de 16 polegadas com pneus 205/55 R16, sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, alarme com comando remoto “keyless”, porta-luvas refrigerado, sistema de som RCD320G (CD Player, entrada USB e conexão Bluetooth), iluminação da placa de licença em LED, volante com ajustes de altura e distância, freios ABS com EBD (distribuição das forças de frenagem), controle de tração (ASR) e quatro airbags (dois frontais e dois laterais).

Comfortline – Além de contar com os mesmos equipamentos da versão Trendline, acrescenta o novo volante global da marca revestido de couro com hastes para troca de marcha (shift paddles) e comandos do computador de bordo e dos sistemas de som e de telefonia, acabamento interno em native (oferecido nas tonalidades preta e bege), rodas de liga-leve de 16”, controle automático de velocidade de cruzeiro, sistema de som RCD 510 com tela colorida de 6,5 polegadas sensível ao toque e seis alto-falantes. Como opcional há teto solar panorâmico e o pacote Exclusive, que conta com sistema de infotainment RNS315 com navegação integrada, sistema Coming & Leaving Home, sensor de chuva, rodas “Queensland” de 17 polegadas e pneus 225/45, sistema Kessy (que permite abertura das portas por aproximação da chave e partida do motor por meio de um botão), ar-condicionado digital Climatronic, entre outros.

Highline – É equipado com seis airbags (dois dianteiros, dois laterais para os ocupantes da frente e dois do tipo cortina), bloqueio do diferencial (EDS) e controle de estabilidade (ESC), BAS (Brake Assist System ou Sistema de assistência à frenagem), HHC (Hill Hold Control) ou controle de assistência de partida em rampa. Como opcionais, há teto solar panorâmico e dois pacotes de equipamentos: Exclusive e Premium. O primeiro acrescenta bancos de couro (com sistema de aquecimento para os dianteiros em duas opções de cores: preto ou bege) e sensores de chuva e de luminosidade, enquanto que o módulo Premium traz todos os itens do Exclusive, além de sistema de infotainment RNS315 com navegação integrada, sistema Kessy (que permite abertura das portas por aproximação da chave e partida do motor por meio de um botão), faróis bixenônio com luzes diurnas de LED e ajuste elétrico do assento do motorista.

Teste-drive a convite da Volkswagen.