enchente-carro-ok

 

Com a chegada do verão, os temporais nos fins de tardes são comuns e, infelizmente, os alagamentos também. E por mais cauteloso que você seja e evite passar em regiões alagadas, às vezes, essa atitude é um mal necessário e, nesses casos, é bom saber o que fazer.

Gerson Burin, especialista em segurança viária do Centro de Experimentação e Segurança Viária (Cesvi Brasil), elaborou uma série de cuidados necessários para ajudar o motorista na travessia. Confira:

1 – Evite regiões alagadas

O primeiro passo é tentar, sempre que possível, evitar regiões que costumam alagar. Planeje uma rota alternativa, passando por pontos mais altos da cidade. Mesmo que o novo caminho seja mais longo, é melhor ir por um lugar seguro do que se arriscar em uma enchente.

2 – Análise do nível da água

Caso o motorista realmente precise atravessar um ponto alagado, a primeira atitude deve ser observar o nível da água. Caso ela esteja acima da linha do eixo, ou seja, o meio da roda, é preferível esperar a água baixar para não correr riscos.

3 – Aceleração constante e baixas rotações

Após observar que o nível da água é transitável, é fundamental manter a aceleração usando a primeira marcha, porém, o condutor deve evitar dirigir em altas rotações. O ideal é que o motor fique na faixa das 2.500 RPM, acima disso é possível que o motor aspire água, acarretando em um calço hidráulico (inundação da câmara de combustão, que provoca danos a componentes internos).

4 – Referência Visual

Iniciou a travessia? Fique muito atento à divisa entre ruas e calçadas. Além disso, é importante dosar o uso do freio, pois, graças às impurezas, sua eficiência é reduzida e comportamento alterado. Teste o freio e tenha noção da nova distância que irá precisar para uma possível freada.

5 – Não religue o motor

Caso o motor morra no meio do percurso por conta da água é de suma importância que não tente ligar o carro novamente. Se o veículo já sofreu a pane, chame um guincho e leve-o diretamente para uma oficina.

6 – Veículos estacionados

Se o carro for inundado por uma enchente quando estiver estacionado, este não deve ser ligado, sob risco de danificar o motor. Em alguns caso a troca de filtros e fluídos, além da limpeza dos componentes contaminados, podem ser o reparo suficiente, mas apenas um profissional capacitado poderá dar esta orientação.

Quem também aproveitou o momento para dar dicas sobre a travessia foi o SindsegSP que, em parceria com o Observatório Nacional de Segurança Viária, lançou o segundo vídeo da campanha Trânsito Seguro: