NEW MARCH 3 cilindros

Produzindo carros na fábrica de Resende (RJ) há quase um ano, a Nissan deu mais um passo para tentar “abocanhar” uma fatia correspondente a 5% do mercado nacional de automóveis até 2016. Na semana passada, a marca japonesa lançou uma nova motorização 1.0 de três cilindros flex para a gama do compacto March. O propulsor, que gera 77 cv de potência a 6.200 rpm e 10 kgfm de torque a 4 mil giros, substitui a unidade de quatro cilindros de origem Renault e ainda insere a Nissan na atual tendência de motores tricilíndricos (já adotada por Ford Ka, Hyundai HB20 e Volkswagen up!). Com a oferta dessa motorização, a fabricante japonesa espera, pelo menos, manter a média de três mil carros vendidos ao mês – marca atingida pelo modelo em dezembro do ano passado.

De acordo com a Nissan, o novo propulsor também estará disponível em algumas versões do sedã Versa, que já está sendo produzido na fábrica fluminense.

O March dotado do novo propulsor chega às concessionárias em março custando a partir de R$ 35.990 (preço já com o IPI e R$ 1.700 mais caro que o modelo com o motor de quatro cilindros) na configuração Conforto, que sai de fábrica equipada com direção elétrica e ar-condicionado. A gama é complementada pelas versões S (R$ 37.990) e SV (R$ 40.990). A primeira acrescenta vidros, travas e retrovisores com acionamento elétrico e chave com telecomando, enquanto a mais completa adiciona rádio com Bluetooth, volante multifuncional, rodas de liga leve de 15 polegadas, aerofólio e faróis de neblina.

A configuração Active, também fabricada em Resende, mas ainda com o desenho antigo e motor 1.0 de quatro cilindros (74 cv e também 10 kgfm de torque) continua a ser oferecida a partir de R$ 34.390. O modelo poderá receber o bloco tricilíndrico dependendo da demanda do mercado, segundo a Nissan.

Derivado do motor HR12 de 1.2 litro utilizado pela marca no mercado asiático, o propulsor batizado de HR10 é 16 quilos mais leve que o anterior de quatro cilindros. Todo feito em alumínio, o trem de força é dotado de sistema de partida a frio (recurso estendido à motorização de 1.6 litro de 111 cv), eliminando a necessidade do reservatório auxiliar de gasolina. O consumo divulgado pela Nissan é de 8,8/12,9 km/l (etanol/gasolina) em regime urbano e 10,3/15,1 km/l (e/g) em ciclo rodoviário.

 

Impressões gerais

Atendendo aos pedidos de clientes, a Nissan desenvolveu o novo motor com o intuito de aliar a economia de combustível com uma dirigibilidade mais agradável, oferecendo mais torque a baixas e médias rotações. De fato, o propulsor tricilíndrico deixou o March mais equilibrado e esperto. Em comparação com o bloco de quatro cilindros, o HR10 entrega respostas mais instantâneas em arrancadas e retomadas. Por conta da quinta marcha com relação alongada, o motor proporciona boa elasticidade quando funciona a giros elevados.

Um detalhe que merece destaque é o isolamento acústico do carro, que filtra com eficiência o ruído do propulsor até mesmo quando se estica uma marcha.

Típicas em carros com motores de três cilindros, as vibrações provocadas pelo posicionamento dos pistões também puderam ser presenciadas no March. No entanto, a Nissan realizou um bom trabalho para atenuar esse inconveniente. A marca diz que adotou contrapesos na parte inferior do bloco para atingir o resultado. Na rápida convivência com o carro, foi possível notar que o March trepida menos que o Volkswagen up!, por exemplo.

NEW MARCH 3 cilindros

Embora o motor tenha desempenho e consumo bastante satisfatórios para a proposta do carro, o March ainda peca no que diz respeito à direção. O sistema com assistência elétrica é bastante leve em manobras, mas poderia ser mais direto e rígido a velocidades mais elevadas. A suspensão do March, apesar das rodas de 15 polegadas, apresenta boa calibragem para encarar a buraqueira das ruas brasileiras.

Com o novo motor, o March se iguala à concorrência neste quesito e fica ainda mais competitivo, uma vez que manteve o bom custo-benefício. Melhor em termos de dirigibilidade e desempenho em comparação com o modelo de quatro cilindros, o compacto fica mais parelho na disputa com os recém-lançados Ford Ka e Volkswagen, além do também bem-sucedido Hyundai HB20 e do atualizado Fiat Uno.

Viagem a convite da Nissan.