A General Motors comemora 90 anos da sua presença no Brasil. Tudo começou com um galpão no bairro do Ipiranga, em São Paulo, no ano de 1925, mais precisamente no dia 26 de janeiro. A princípio, as peças eram trazidas dos Estados Unidos e montadas no galpão. Porém, apenas em setembro o primeiro modelo Chevrolet, um furgão para entregas urbanas, ganhou as ruas brasileiras.

No primeiro ano a produção era de 25 unidades por dia. No ano seguinte, a marca passou a produzir 40 unidades diárias. Por aqui, a marca montavam modelos das marcas Buick, Oldsmobile, Chevrolet, Oakland, Cadillac e Pontiac. Em 1927 houve um grande salto na produção, alcançando a marca de 150 carros por dia.

O ritmo continuou crescendo e a marca acabou construindo a fábrica de São Caetano do Sul, inaugurada em agosto de 1930 e ativa até hoje. Em 10 de março de 1959 é inaugurada a segunda fábrica da General Motors do Brasil, em São José dos Campos. Na época, produzia somente motores e peças para os caminhões Chevrolet Brasil, picapes e camionetes Chevrolet Amazonas.

Em 1968 foi produzido o primeiro carro de passeio da marca no Brasil, um Opala quatro portas. O modelo saiu da linha de produção de São Caetano do Sul e marcou um novo patamar da Chevrolet no país. Neste novo patamar, a marca comemorou a chegada as 6 milhões de unidades produzidas na unidade do ABC paulista.

Em 1972 a GM do Brasil dá outro passo importante para seu crescimento, a inauguração do Campo de Provas da Cruz Alta, onde todos os veículos são testados. Hoje, é um complexo com 16 pistas de testes totalizando 42 quilômetros. A área total do terreno é de 2.785 hectares, equivalentes a 160 mil campos de futebol.

Em 2000 a Chevrolet deu outro salto de importância ao inaugurar a fábrica de Gravataí, a maior da empresa no hemisfério Sul. O complexo industrial foi um dos primeiros a reunir os principais fornecedores próximos à linha de montagem

A marca ainda terminou o ano comemorando o bom desempenho no mercado brasileiro quando vendeu 578.983 veículos. Esse é um dos motivos pelos quais a subsidiária brasileira é um dos cinco centros mundiais na criação e desenvolvimento de veículos.