picapesdetroit

Enquanto no Brasil a grande disputa do mercado é entre segmentos de automóveis, nos Estados Unidos, onde acontece o Salão de Detroit, boa parte da fatia do mercado fica com as picapes. Como não poderia ser diferente, o evento virou palco de uma grande rivalidade entre as principais marcas. Foram apresentadas quatro picapes de produção e duas conceituais, incluindo uma inesperada da Hyundai.

Os sul-coreanos surpreenderam os jornalistas ao apresentar o conceito Santa Cruz, cujo nome dá a impressão de ter sido utilizado na última hora, uma vez que remete à junção das nomenclaturas do SUV Santa Fe e do extinto crossover Vera Cruz. Mas a principal dúvida em relação ao protótipo é qual público a Hyundai pretende atingir.

Segundo Dave Zuchowski, presidente-executivo da Hyundai Motor da América do Norte, a picape busca atingir uma nova geração de consumidores, formada por jovens, mulheres, um público em geral de caráter mais urbano, mas que não abre mão de um veículo com capacidade para sair do asfalto em passeios aos finais de semana.

As dimensões oficiais não foram reveladas, mas falou-se em algo próximo aos 4,65 m de comprimento. Com isso o modelo, caso seja produzido, brigaria com a picape média da Fiat, que foi apresentada em forma de conceito no Salão de São Paulo, e ao modelo da Renault, mostrado no evento paulistano como o protótipo Duster Oroch– a Santa Cruz tem porte entre o das picapes pequenas derivadas de automóveis e os modelos médios, como Chevrolet S10, Toyota Hilux, etc. O motor da Hyundai é um 2.0 turbodiesel de 193 cv e 41,5 kgfm de torque.

 

Outro conceito que apareceu em Detroit foi a já conhecida Chevrolet Colorado ZR2. De acordo com a GM, trata-se de uma possível prévia de um modelo totalmente voltado ao uso fora de estrada. Por ter sido apresentada no Salão de Los Angeles, no ano passado, o modelo não ganhou muito destaque da imprensa em Detroit. A picape é dotada do motor de 2.8 litros turbodiesel, o mesmo da Chevrolet S10 brasileira, porém, com potência de 181 cv e 51 mkgf de torque. A transmissão é automática de seis marchas e há sistema de tração nas quatro rodas.

Por falar em fora de estada, a briga esquenta com a apresentação da nova geração da Ford F-150 Raptor e da Ram 1500 Rebel. A primeira chamou muita atenção pelo design agressivo. Com quase 300 kg a menos que o modelo anterior, graças a uma dieta à base de alumínio, a picapona está ainda mais potente, embora tenha trocado o motor V8 por um EcoBoost V6 (a Ford não revelou os números de potência e torque).

Já a Ram 1500 Rebel conta com suspensão com molas a ar, permitindo mais conforto na estrada e facilidade no ajuste de altura. Diferentemente da rival, apenas o capô é de alumínio e nele ficam as entradas de ar para refrigerar uma das duas motorizações disponíveis: Pentastar V6 de 3.6 litros com 305 cv e o Hemi V8 de 5.7 litros com 395 cv, ambos a gasolina e associados a um câmbio automático de oito marchas.

As japonesas também deram o ar da graça. A Toyota levou a nova Tacoma como principal modelo exposto em seu estande. O destaque fica por conta do sistema Multi-Terrain Select, que permite ao condutor escolher entre diferentes tipos de terreno. A marca não revelou muitos detalhes quanto à motorização, sabe-se apenas que dois motores estarão disponíveis, sendo um V6 de 3.5 litros e outro bloco de quatro cilindros de 2.7 litros.

Diferentemente da compatriota, que briga no setor de picapes médias, a Nissan Titan XD chega renovada para competir entre as grandes picapes americanas. A motorização é um enorme motor Cummins V8 Turbo Diesel de 5.0 litros, capaz de produzir 314 cavalos de potência e 76,6 kgfm de torque. Com isso, de acordo com a fabricante, a capacidade máxima de reboque supera as cinco toneladas, enquanto a capacidade de carga útil é de mais de 900 kg. O modelo exposto se trata de uma cabine dupla, mas configurações de cabines simples e estendida também serão ofertadas. A Nissan divulgou ainda que vários níveis de acabamentos e equipamentos estarão disponíveis, juntamente com a tração 2WD e 4WD.