A Ford aproveitou o Salão de Detroit para fazer um dos lançamentos mais aguardados pelos fãs de picapes: a nova geração da nervosa F-150 Raptor. O modelo, líder do mercado americano há 32 anos, passou recentemente pelas mudanças mais drásticas de sua história ao trocar o aço da carroceria por alumínio, para garantir maior rigidez e menor peso– quase 300 kg a menos que o modelo anterior.

O visual, agressivo e intimidador, destaca-se pela tradicional grade com letras garrafais e pelos monstruosos pneus BFGoodrich All-Terrain KO2, que envolvem as rodas de liga leve de 17 polegadas. Na traseira também é possível ver o enorme letreiro com nome da Ford, além da saída dupla do sistema de escape.

Nem por isso a F-150 Raptor deixa de ser tecnológica. Os faróis e lanternas de LED dão a mensagem de que não se trata apenas de um modelo extremamente robusto. Além disso, o Terrain Management System, um sistema que altera parâmetros do motor, transmissão e controle de tração em seis tipos de terrenos, completa os recursos tecnológicos.

A F-150 Raptor chegará ao mercado norte-americano com o motor EcoBoost V6 de 3.5 litros, cujos números de potência, torque e desempenho não foram divulgados. De acordo com a Ford, o propulsor é mais potente e eficiente que o V8 da geração anterior. Completa a o conjunto motriz uma nova transmissão automática de 10 velocidades. Por fim, a suspensão foi revista com amortecedores de carga e curso maiores.

Também marcou presença no salão a versão convencional da picape. O destaque da nova geração fica por conta do consumo, que na versão equipada com o motor V6 EcoBoost de 2.7 litros e tração traseira é de 11 km/l na estrada, 8 km/l na cidade e 9km/l no circuito misto. Em comparação com a gama atual, a nova picape pode ser de 5% a 29% mais eficiente, dependendo da versão.

Descrita pela Ford com a picape a gasolina mais econômica da categoria à venda nos EUA, a F-150 é montada na fábrica de Dearborn, estado do Michigan.

Embora o alumínio já seja utilizado pela indústria automotiva e esteja presente em carros de alta performance ou veículos de luxo, esta é primeira vez que o uso é destinado para o segmento de picapes. Por esse motivo, a ousada estratégia da Ford está deixando todo o setor automotivo, incluindo concorrentes, analistas e investidores, interessados nessa história.

O uso do alumínio em grande escala, a variação no preço do material, os novos custos de produção, o consumo de combustível e até a aceitação do consumidor com relação à nova F-150 são desafios a serem enfrentados pela Ford nessa nova empreitada.