SONY DSC

Concebido para atender às necessidades dos consumidores de países asiáticos, o Etios foi lançado no Brasil há pouco mais de dois anos com a missão de colocar a Toyota em uma posição de destaque entre os compactos. Acostumada a brigar pelas primeiras posições de outras categorias, como a de sedãs médios e picapes, a marca japonesa apostou em sua tradição de fabricar veículos de mecânica confiável e entrou no mais concorrido dos segmentos com um carro que, em termos de acabamento, design e equipamentos de conforto e conveniência, já estreava defasado diante dos concorrentes.

O Etios ainda não fez o sucesso esperado pela Toyota, mas conquistou uma parcela de fãs por conta do bom espaço interno, da dirigibilidade elogiável e, principalmente, pelo conjunto mecânico eficiente. A fabricante jura que está satisfeita com o desempenho do modelo no mercado e diz que não pretende promover mudanças drásticas em seu carro de entrada tão cedo. No entanto, já “deu um tapa” na lista de itens de série para deixá-lo mais competitivo em relação aos rivais.

Na linha 2015, a Toyota deu uma repaginada no compacto, que passou a contar desde a versão de entrada (a X com motor de 1.3 litro que parte de R$ 38.380) com elementos cromados na carroceria, alerta sonoro para portas abertas e faróis acesos, vidro do motorista com função um toque, banco do condutor com regulagem de altura e o volante de três raios do novo Corolla. A configuração intermediária XS 1.5 (R$ 42.620) acrescenta novo sistema de som com conexão Bluetooth, volante multifuncional e alarme com controle remoto. Já a versão completa, a XLS 1.5 (R$ 46.220), recebe retrovisores externos com repetidores de seta e bancos em couro sintético.

 

Para complementar a gama do compacto, a Toyota lançou em junho deste ano a série especial Platinum, baseada na versão XLS. Tanto no hatch (parte de R$ 49.120) como no sedã (R$ 51.780), a configuração se destaca das demais pelas rodas de liga leve com desenho exclusivo e apliques cromados na carroceria – como o friso que atravessa a tampa traseira. O modelo traz ainda sensor de estacionamento traseiro e central multimídia com câmera de ré, leitor de DVD, GPS e TV digital.

De volta ao passado

A primeira sensação ao entrar no Etios Platinum é a de contraste. Embora a Toyota tenha adicionado o volante revestido em couro do Corolla, os apliques em plástico preto brilhante no painel e promovido sutis mudanças no quadro de instrumentos (agora conta com fundo azulado e mostrador de combustível ligeiramente maior), o interior do compacto ainda é simplório e destoa da central multimídia. A impressão é de o equipamento ter sido instalado como acessório em um carro da década de 1990.

No geral, o modelo ainda não consegue disfarçar que foi criado para atender públicos menos exigentes que o brasileiro – o painel centralizado e de leitura nada ergonômica nos faz lembrar disso. A cabine, apesar do bom espaço para quatro adultos, não oferece o mesmo nível de capricho dos carros da concorrência e fica devendo o mínimo de refinamento esperado em um modelo que custa quase R$ 50 mil. Itens triviais de segurança, como cintos dianteiros com regulagem de altura, travamento automático das portas e o terceiro encosto de cabeça traseiro, por exemplo, não estão disponíveis.

SONY DSC

Conjunto mecânico harmonioso ainda é o destaque

Já o motor de 1.5 litro de 16 válvulas, que gera 92/96,5 cv (gasolina/etanol) 13,9 kgfm de torque a 3.100 rpm com etanol, garante bom desempenho, com arrancadas e retomadas espertas. A agilidade do compacto é favorecida pela transmissão manual de cinco velocidades bem escalonada e que trabalha em harmonia com o propulsor em qualquer situação. A alavanca de trocas de marchas tem engates curtos e precisos. O Etios é um carrinho agradável de ser conduzido no trânsito urbano. Ágil, o hatch não faz feio na estrada e acompanha carros mais potentes dentro dos limites legais de velocidade sem fazer esforço e nem prejudicar o consumo. No entanto, monitorar o velocímetro no centro do painel é um tanto incômodo por obrigar o motorista a tirar os olhos do trânsito de maneira pouco intuitiva.

Toyota Etios Platinum

Teste Carsale-Mauá
 
Cidade
Estrada
0 a 100 km/h
Etanol9,7 km/l12,2 km/l11,29 segundos
Gasolina12,5 km/l16,4 km/l11,93 segundos

Deixando de lado a mecânica bem ajustada, as ausências de travamento automático das portas, do terceiro encosto de cabeça traseiro e de luz no para-sol não condizem com a faixa de preço que o Etios Platinum pretende brigar. O tampão do porta-malas de 270 litros continua sendo sustentado por uma simples cordinha, enquanto o para-brisas conta com apenas um limpador, lembrando o do aposentado Fiat Mille. A buzina, ao menos, deixou de tocar escandalosamente ao travar ou destravar as portas por meio do controle da chave e o cofre do motor passou a receber pintura.

Se a meta da Toyota é manter a média de vendas do Etios com a série Platinum, o objetivo deverá ser atingido sem grandes problemas, uma vez que alguns dos principais questionamentos do modelo em relação a itens de série foram sanados desde as versões mais baratas. No entanto, não dá para considerar a configuração mais cara do Etios como uma boa opção de compra apenas pela boa imagem da Toyota, uma vez que a concorrência dispõe de produtos mais modernos, potentes, equipados e em sintonia com mercados mais evoluídos na mesma faixa de preço.

Ficha técnica

ModeloEtios Platinum 1.5
PreçoR$ 49.120
Motor1.5 litro 16V
Cilindrada (cm³)1.496
Potência (gasolina/etanol)92/96,5 cv
Torque13,9 kgfm
Freios dianteirosDiscos ventilados
Freios traseirosTambores
Suspensão dianteiraMcPherson
Suspensão traseiraEixo de torção com barra estabilizadora
RodasLiga leve de 15 polegadas
Pneus185/60 R15
DireçãoElétrica
Peso em ordem de marcha (kg)970
Comprimento (metros)3,77
Largura (m)1,69
Altura (m)1,51
Distância entre-eixos (m)2,46
Tanque (litros)45
Porta-malas (litros)270