Conforme mostrado na última edição do Salão do Automóvel de São Paulo, no começo de novembro, a JAC Motors irá mesmo apostar as suas fichas no competitivo segmento de utilitários urbanos nos próximos anos. A marca chinesa aproveitou o evento para lançar o modelo T6 e apresentar ao público o T5. O primeiro chega para rivalizar com o Hyundai ix35, Kia Sportage, entre outros, enquanto o último é a aposta para encarar o Ford EcoSport a partir de agosto ou setembro de 2015.

Para fazer frente à concorrência, a JAC aposta na fórmula que a popularizou por aqui: carros com boa lista de itens de série e preços competitivos. O T6, por exemplo, é vendido a partir de R$ 69.990 e já sai de fábrica com equipamentos como direção elétrica, ar-condicionado, sensor de estacionamento traseiro e sistema de monitoramento da pressão dos pneus. Com o T5, a estratégia não será diferente: para brigar com o jipinho da Ford, além do Renault Duster e dos também estreantes Jeep Renegade e Honda HR-V, a JAC deverá posicionar a versão de entrada do modelo abaixo dos R$ 60 mil – até mesmo para não ficar muito próximo do T6.

+ Confira aqui o comparativo do JAC T6 com o Hyundai ix35

Além de marcar a estreia da JAC no segmento de SUVs compactos, o T5 será o primeiro carro da marca a oferecer transmissão automática – no caso, CVT (continuamente variável). A caixa será estendida ao T6 e, possivelmente, a outros modelos. Dessa forma, a JAC irá se igualar à Chery, atualmente a única fabricante chinesa a vender um automóvel com câmbio automático no Brasil (o Tiggo parte de R$ 58.990 com esse tipo de transmissão).

Montado sobre a plataforma do J3, o T5 será vendido no mercado brasileiro com a motorização de 1.5 litro de 16 válvulas JetFlex, que desenvolve 125 cv de potência com gasolina e 127 cv quando abastecido com etanol. Além da transmissão CVT com opção de trocas na alavanca, o jipinho de 4,32 metros de comprimento (8 cm a mais que o EcoSport) será oferecido também com uma caixa manual de seis marchas.

Embora ainda esteja realizando os testes necessários para a homologação do T5, a JAC promoveu um teste-drive do modelo para a imprensa especializada. Os carros cedidos para a avaliação são os mesmos utilizados pelo departamento de engenharia da marca. Durante o processo de tropicalização, o T5 receberá aprimoramentos mecânicos, especialmente na suspensão e transmissão, antes de ser comercializado no País.

O carro flagrado pela leitora Isaura Kimura, em São Paulo, é um dos protótipos utilizados pela JAC nos testes de homologação

Como anda

O Carsale rodou com as versões CVT e mecânica do jipinho em um rápido percurso pela Zona Norte de São Paulo, incluindo a movimentada Marginal Tietê e avenidas da região. Durante o teste, o T5 mostrou boa agilidade no trânsito urbano. O câmbio manual tem engates corretos, o que contribui para a condução cotidiana. A posição de dirigir é a típica dos SUVinhos: altinha e com boa visibilidade. Outro ponto positivo do T5 é a leveza da direção elétrica em manobras para entrar em brechas no meio do congestionamento.

Já o T5 equipado com o câmbio CVT estava com a calibração da versão destinada ao mercado chinês, com relações virtuais bastante longas. Em alguns trechos do teste, como subidas, a transmissão parecia “patinar” quando o motor era mais exigido. A JAC sugeriu conduzir o carro no modo manual, realizando as trocas na alavanca. Dessa forma, a caixa simula seis marchas, cujas mudanças são praticamente imperceptíveis.

No geral, o T5 mostrou ter qualidades para agradar bastante gente assim que começar a ser vendido por aqui. O interior é suficiente para acomodar quatro pessoas sem aperto, ao passo que o banco traseiro (com cintos de três pontos para os três ocupantes) possui mais espaço que o do EcoSport. Já o acabamento, embora predominado por plástico duro, mostra uma evolução em comparação com os primeiros JAC vendidos no País. Os dois carros testados contavam com bancos em couro (o revestimento é instalado no Brasil devido o alto custo desse material na China), ar-condicionado digital e central multimídia (com grafismos sem exageros apesar de não ser a configuração do carro a ser vendido por aqui).

Bonito, bem equipado e com desempenho e espaço condizentes para a sua proposta, o T5 mostra que JAC está mesmo com a intenção de fazer a concorrência se mexer como fez anos atrás ao trazer carros mais equipados e baratos que os nacionais. O SUVinho chinês, se chegar bem recheado como promete a fabricante, incomodará os rivais na faixa dos R$ 60 mil.

Teste-drive a convite da JAC Motors.