SONY DSC

 

Após igualar com a Ford Ranger, em setembro do ano passado, a disputa de picape média mais potente do mercado – ambas equipadas com motores turbodiesel de 200 cv – a General Motors lançou mão de mais uma estratégia para manter a Chevrolet S10 no topo do ranking de vendas: a oferta de uma nova motorização bicombustível, capaz de desenvolver potência superior a do propulsor movido a diesel. Líder do segmento há quase 20 anos, a picape passou a contar em sua gama com o motor Ecotec de quatro cilindros de 2.5 litros flex que chega acompanhado de melhorias na parte mecânica e de acabamento interno.

Importado dos Estados Unidos, o moderno propulsor de alumínio tem como objetivo entregar números mais favoráveis de consumo e de emissões. A unidade, disponível apenas para as configurações LT e LTZ com cabine dupla, é dotada de duplo comando variável de válvulas, injeção direta de combustível e sistema de partida a frio, que elimina a necessidade do reservatório auxiliar de gasolina. O motor gera 197 cv de potência e 26,3 kgfm de torque com gasolina e 206 cv e 27,3 kgfm com etanol – o torque máximo é disponibilizado a 4.400 com qualquer um dos combustíveis. Os números superam os 147 cv e 24,1 kgfm (com etanol) da motorização de 2.4 litros, agora oferecida apenas para a versão de entrada LS.

 

 

Além do novo motor, a S10 recebeu uma recalibração nas suspensões dianteira e traseira com a função de deixar o conjunto mais firme e estável ao trafegar sobre pisos irregulares e melhorar as respostas da direção. A picape teve o isolamento acústico da cabine aprimorado e ainda ganhou um aplique em plástico preto brilhante no painel, além de uma forração parcial em couro nas portas.

Embora não possa ser acoplada à transmissão automática de seis velocidades, disponível para a versão LTZ com o propulsor turbodiesel (2.8 litros de 200 cv e 51 kgfm), a motorização Ecotec está disponível tanto para a configuração 4×2 como para a 4×4 com reduzida.

De funcionamento suave, o propulsor mostra logo de cara desempenho e funcionamento superiores aos do bloco de 2.4 litros. O motor deixou a picape com um rodar mais macio e, apesar de entregar a força máxima a rotações elevadas, não aparenta estar sendo demasiadamente forçado em situações que o motorista exige mais agilidade. O incômodo é o fato de ser um tanto letárgico a giros abaixo das 3 mil rpm – principalmente se comparada à parruda unidade movida a diesel.

 

Chevrolet S10 LTZ Ecotec

Teste Carsale-Mauá
 
Cidade
Estrada
0 a 100 km/h
Etanol5,3 km/l7,5 km/l11,89 segundos
Gasolina7,8 km/l10,9 km/l12,52 segundos

As melhorias na suspensão também foram bem-vindas. A picape está ligeiramente mais durinha, porém sem comprometer o conforto dos ocupantes. Mas a principal vantagem da recalibração do conjunto foi a diminuição da trepidação da traseira ao rodar com a caçamba vazia em estradas de terra ou vias de asfalto irregular. Para quem pensa em utilizar um veículo desse porte em condições urbanas (o que não é muito recomendado por contas das dimensões), vale lembrar que a câmera de ré e o sensor de estacionamento, assim como o assistente de partida em rampa, facilitam (e muito) a vida do motorista em manobras de estacionamento.

Na versão topo de gama, a LTZ Ecotec 4×4 (parte de R$ 104.300), a S10 é bem servida de equipamentos, como direção hidráulica; ar-condicionado digital; vidros e travas com acionamento elétrico; sistema multimídia MyLink com GPS integrado e câmera de ré; volante multifuncional com regulagem de altura; piloto automático; banco do motorista com ajuste elétrico; rodas de liga leve de 17; controlador de velocidade em declives; polegadas; lanternas de LED; sensor de estacionamento traseiro; bancos revestidos em couro; rack de teto; airbags frontais e freios com ABS (anti-travamento), entre outros. Controles eletrônicos de estabilidade e tração também fazem parte do pacote de segurança, que poderia ser reforçado por pelo menos mais dois airbags laterais.

 

SONY DSC

O novo motor coloca a S10 à frente da concorrência entre as picapes bicombustíveis. Por ser mais moderno, entrega potência e desempenho superiores, porém sem exigir idas muito frequentes ao posto para abastecimento – considerando o porte e as quase duas toneladas de peso da picape. Além disso, é uma opção para procura por uma picape com tração nas quatro rodas e reduzida, mas quer evitar os preços muito superiores de compra e do alto custo de manutenção dos modelos a diesel (chegam a custar acima dos R$ 150 mil), vantajosos somente para os motoristas que rodam distâncias muito grandes anualmente a ponto de justificar o investimento – a mesma versão da S10 com o motor turbodiesel, por exemplo, custa quase R$ 40 mil a mais.

Agradecimento: Pousada dos Pescadores

Estrada Caminho do Mar, 6825, Km 36 – Riacho Grande, São Bernardo do Campo (SP)

(11) 4354-0535

Ficha técnica

ModeloS10 LTZ Ecotec 4x4
PreçoR$ 104.300
Motor2.5 litros 16V
Cilindrada (cm³)2.457
Potência (etanol/gasolina)206/197 cv
Torque (etanol/gasolina)27,3/26,3 kgfm
Freios dianteirosDiscos ventilados
Freios traseirosTambores
Suspensão dianteiraMcPherson
Suspensão traseiraFeixe de molas semi-elípticas de dois estágios
RodasLiga leve de 17 polegadas
Pneus255/65 R17
DireçãoHidráulica
Peso em ordem de marcha (kg)1.979
Comprimento (metros)5,34
Largura (m)1.88
Altura (m)1.90
Distância entre-eixos (m)3,09
Tanque (litros)80
Capacidade de carga (kg)771
Volume da caçamba (litros)1.570