A Audi anunciou o primeiro facelift do A1, lançado em 2010. O visual do compacto foi atualizado, bem como a gama de motores, que passa a contar com os novos blocos de três cilindros.

No visual, o A1 teve a grade frontal e o para-choque dianteiro redesenhados, além de ganhar faróis e lanternas remodelados. As mudanças aumentaram o comprimento do hatch em 2 centímetros. O modelo também conta com mais opções de acabamentos. O interior também apresenta pequenas alterações, porém chama o que realmente chama a atenção mesmo é o que está sob o capô.

O A1 pela primeira vez conta com motores de três cilindros. São duas opções: 1.0 litro TFSI, a gasolina, inédito na história da marca, que desenvolve 95 cv e promete um consumo médio de 23,25 km/l, com emissões na casa das 100 g de CO2 por quilômetro. Há a variante movida a diesel de 1.4 litro TDI de 90 cv. Com essa motorização, o A1 roda aproximadamente 29 quilômetros com um litro de combustível e emite 89 g/km de CO2.

Os outros motores também estão disponíveis, como a versão a gasolina de 1.4 litro e injeção direta de 123 cv . O 1.6 a diesel entrega 114 cv, enquanto o bloco de 1.8 litro turbinado e com compressor, movido a gasolina, entrega 189 cv. Por sua vez, o S1 e o S1 Sportback (carroceria de quatro portas) serão equipados com o propulsor de 2.0 litros TSFI, capaz de produzir 231 cv e fazer o compacto acelerar de 0 a 100 km/h em 5,8 e 5,9 segundos, respectivamente.

Há também um novo sistema de direção eletromecânica, que garante ao motorista assistência ideal em todas as situações de condução. Já a versão esportiva conta com um ajuste mais duro em suas configurações, porém, de acordo com marca, é mais confortável que o modelo anterior.

O Audi A1 com as modificações deverá ser importado ao Brasil somente a partir de 2015.