Novo_Renault_ Fluence 2015_Dynamique_ 11

De olho em uma maior participação no segmento de sedãs médios, a Renault apresentou a linha 2015 do Fluence, que passou pela sua primeira reformulação visual e de conteúdo desde o seu lançamento no Brasil, em 2010. De acordo com a marca francesa, o objetivo das mudanças é brigar pela quarta posição da categoria – dominada atualmente pela dupla nipônica Toyota Corolla e Honda Civic –

vendendo cerca de mil unidades por mês. Os preços começam em R$ 66.890.

As principais novidades no Fluence estão na dianteira, que passa a contar com a atual identidade visual da Renault, destacada pela grade redesenhada. O sedã recebeu ainda luzes diurnas dianteiras e lanternas traseiras em LED. Do lado de dentro há novos revestimentos e todas as configurações passam a contar com velocímetro digital.

A motorização de 2.0 litros de 16 válvulas flex, que desenvolve 140/143 cv de potência (gasolina/etanol) e 19,9/20,3 kgfm de torque a 3.750 rpm, não sofreu alterações – diferentemente dos concorrentes, o reservatório auxiliar de gasolina para partida a frio não foi extinto. O propulsor trabalha associado à caixa manual de seis marchas ou a CVT (continuamente variável) programada para simular seis velocidades.

Confira abaixo os principais equipamentos e preços da linha 2015 do Renault Fluence:

Dynamique M/T (R$ 66.890): direção elétrica; ar-condicionado digital de duas zonas; airbags frontais e laterais; freios com ABS; banco do motorista com regulagem de altura; chave presencial; computador de bordo; limitador de velocidade; vidros, travas e retrovisores com acionamento elétrico; sensor de chuva; faróis com acionamento automático; volante com regulagem de altura e profundidade; alarme perimétrico; faróis de neblina; sistema de áudio com Bluetooth, comando satélite na coluna de direção; rodas de liga leve de 16 polegadas e pneus 205/60 R16, entre outros.

Dynamique CVT (R$ 71.890): acréscimo da transmissão CVT.

Dynamique Plus CVT (R$ 74.890): itens da Dynamique CVT, mais central multimídia R-Link com tela tátil de 7 polegadas, GPS, conexões USB/iPod/AUX; bancos em couro escuro.

Privilège CVT (R$ 82.990): acrescenta moldura cromada nos faróis de neblina; bancos em couro cinza claro; rebatimento elétrico dos retrovisores; sensor de estacionamento traseiro; câmera de ré; teto solar elétrico; airbags do tipo cortina; controles eletrônicos de estabilidade e tração; faróis de xenônio com regulagem automática de altura e lavador; luzes diurnas em LED e rodas de liga leve de 17 polegadas, calçadas em pneus 205/55 R17.

A Renault acredita que a versão Dynamique Plus CVT responderá por 50% do mix de vendas, seguida pela Privilège (25%), Dynamique CVT (15%) e Dynamique manual (10%). Já a variante esportiva GT, equipada com o motor 2.0 turbo a gasolina de 180 cv, deverá chegar ao mercado brasileiro com as modificações apenas no começo de 2015.

Impressões

O destaque do Fluence fica por conta do conforto e do bom espaço interno para até quatro adultos, que agora podem usufruir de uma central multimídia mais completa. O porta-malas, outro ponto positivo, leva até 530 litros de bagagem. Ao volante, o modelo tem comportamento sóbrio, sem aspirações esportivas (como ocorre com o Ford Focus e Honda Civic, por exemplo). O rodar do Renault é apropriado para as ruas brasileiras, uma vez que a suspensão absorve com competência os impactos dos buracos. Na estrada, o Fluence até deslancha bem, mas em situações de retomadas e ultrapassagens o motor parece não se entender com o câmbio e deixa as acelerações lentas para um motor de 2.0 litros. Essa indecisão do conjunto, entretanto, obriga o motorista a realizar as trocas de marchas manualmente.

No geral, o Fluence tem as características necessárias para conquistar os donos de sedãs médios: bom nível de equipamentos, conforto e espaço para uma família. Diferentemente do que ocorre com os rivais, o sedã sofre um pouco com a falta de carisma entre os consumidores brasileiros. As mudanças promovidas pela Renault foram pontuais e deixaram o Fluence mais competitivo, mas os dias que virão não serão fáceis para o modelo, uma vez que a concorrência tem se mexido e já prepara novos lançamentos para o futuro – como o Volkswagen Jetta com motor 1.4 turbo flex fabricado em São Bernardo do Campo (SP) que chega em 2015.

Teste-drive a convite da Renault.