A Toyota aproveitou o 28º Salão Internacional do Automóvel de São Paulo para mostrar, pela primeira vez na América Latina, o FCV, um novo conceito de mobilidade urbana limpa. O modelo é movido a hidrogênio, graças à energia elétrica proveniente da reação entre o hidrogênio e o oxigênio.

Com isso o veículo libera apenas água por uma válvula localizada na parte inferior do veículo, dispensando a necessidade de escapamento. Este é o grande destaque de Toyota no Salão e, apesar de ser um carro-conceito, está muito próximo de se tornar o primeiro veículo movido a hidrogênio vendido em escala comercial. No primeiro semestre de 2015 os consumidores do Japão e Estados Unidos terão a opção de comprar este carro totalmente ecológico.

O FCV possui dois tanques de hidrogênio com autonomia para rodar 700 km sem necessidade de reabastecimento, e atinge velocidade máxima de 170 km/h. A partida a frio, uma das grandes preocupações para viabilizar a nova tecnologia, pode ser feita a – 40ºC. Antes de ser produzido em larga escala, o FCV foi testado em severas condições climáticas, no norte do Canadá e do Japão.

O abastecimento do modelo deve ser feito em postos de hidrogênio, e bastam apenas três minutos para encher os dois tanques. Tanto Japão como EUA, países que receberão o FCV, estão montando uma rede de postos em regiões estratégicas, para viabilizar a utilização do veículo.
Outro modelo em posição de destaque no estande da montadora é o FT-1, superesportivo-conceito da Toyota, que também estreia no mercado automotivo latino-americano. Seu design é fortemente influenciado pela longa tradição dos carros esportivos da Toyota, que inclui modelos como o 2000GT, Celica, Supra e, mais recentemente, o Toyota GT86.