%%wppa%% %%slide=591%%

A Subaru apresentou, nesta quarta-feira (15), a nova geração da linha WRX ao mercado brasileiro. Com as vendas programadas a partir de maio do ano que vem, os modelos estarão presentes no Salão do Automóvel de São Paulo (acontece entre os dias 30 de outubro e 9 de novembro).

A configuração WRX chega equipada com um motor boxer (cilindros opostos) de 2.0 litros a gasolina, dotado de turbocompressor e injeção direta de combustível, capaz de gerar 268 cv de potência máxima a 5.600 rotações e 38 kgfm de torque entre 2 mil e 5.200 rpm. O sedã esportivo estreia uma nova transmissão automática de oito marchas com borboletas para trocais manuais, denominada Sport Lineartronic. A caixa manual de seis velocidades também estará disponível.

Já o nervoso WRX STI conta com a força do propulsor boxer de 2.5 litros turbo 305 cv de potência a 6 mil rpm e 40 kgfm de torque a 4 mil giros. A única opção de câmbio disponível é a manual de seis marchas. Os dois modelos contam com o sistema de tração integral Subaru All Whell Drive (SAWD).

A marca promete uma experiência de dirigibilidade ainda mais aprimorada, graças ao novo chassi mais rígido, às suspensões mais firmes e sistema de direção mais acertado. Uma novidade dos modelos é o Active Torque Vectoring, que melhora o comportamento do carro em curvas ao acionar o freio da roda dianteira do lado de dentro da curva para evitar saídas de frente.

O modelo cresceu 25 mm na distância entre-eixos, aumentando o espaço para as pernas no banco traseiro em 5 cm. O porta-malas passou de 320 para 340 litros. A família WRX ainda conta com ajuste de altura e profundidade do volante, que conta controles de áudio e Bluetooth, além de sistema de áudio Harman/Kardon.

O motorista do WRX STI pode intervir no funcionamento do controle de estabilidade, selecionando entre três tipos de programação disponíveis (Intelligent, Sport e Sport Sharp), bem como controlar o nível de bloqueio do diferencial.

Por ora, os preços não foram revelados, mas especula-se que a versão WRX seja posicionada na faixa dos R$ 130 mil, enquanto a WRX STI atinja a barreira dos R$ 200 mil.

Crescimento no Brasil

Além de mostrar os novos modelos, a Subaru aproveitou para lançar o seu plano de ação para os próximos anos no Brasil. A marca apresenta crescimento de aproximadamente 3% nas vendas no país. Entre janeiro e setembro, foram 760 unidades vendidas. Mais do que em 2013 inteiro, quando 738 unidades foram vendidas. Até o final do ano, a estimativa é vender 1.100 veículos

Outro ponto crucial para o crescimento da marca no País é a expansão dos pontos de venda. Até o fim do ano, serão 10 concessionárias, uma a mais do que há atualmente. Porém, segundo o diretor geral da Subaru Brasil, Flávio Padovan, a intenção é chegar a 25 pontos de venda até 2016, abrindo unidades onde a marca ainda não atua, como a região Nordeste.