reparo-de-parabrisa1

O para-brisa é uma das regiões mais vulneráveis de um automóvel pelo fato de que diversas situações podem danificá-lo. Desde uma chuva de granizo a pedrinhas e outros objetos provenientes das vias de trânsito. Ao ser atingida, a peça é trincada por não possuir a capacidade de absorver a energia do impacto. Vale lembrar que apenas para-brisas laminados podem ser reparados e, de acordo com a Resolução 216 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), todos os veículos devem sair de fábrica com esse tipo de vidro de segurança instalado no para-brisa.

reparo_contran_216

Na imagem acima percebe-se que o para-brisa é dividido em duas partes: a faixa “B”, mais direcionada ao passageiro, pode ser reparada. Mas se o dano for na região “A”, localizada á frente do motorista, o vidro tem de ser trocado. Além disso, a trinca não pode ser superior a 20 centímetros de comprimento e, em caso de trincas circulares, o dano não pode passar dos 4 centímetros de diâmetro.

Confira na galeria abaixo dicas do CESVI Brasil sobre as vantagens do reparo e os problemas que a demora em trocar ou consertar o para-brisa podem acarretar:

[wppa type=”slide” album=”574″][/wppa]