[wppa type=”slide” album=”568″][/wppa]

Um dos ícones de luxo e esportividade do mundo automotivo, a Jaguar sempre foi ligada à imagem de marca restrita a clientes exclusivos. Após ser adquirida da Ford pela Tata Motors, a fabricante inglesa teve a sua participação no mercado de automóveis de luxo incrementada por uma estratégia da companhia indiana. A Jaguar continua sendo uma das referências em sofisticação e alto desempenho, mas atualmente busca espaço em um segmento dominado pelas marcas alemãs.

Com uma estratégia voltada a ser a “porta de entrada para o requinte”, a Jaguar já aparece na décima colocação do ranking de sedãs grandes de luxo no mercado brasileiro. Segundo dados da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), o modelo XF está entre os dez mais vendidos da categoria desde o mês de julho.

Com 214 unidades comercializadas no ano (36 em setembro), o Jaguar XF está à frente de modelos como Mercedes-Benz C250 (178 carros) e Kia Optima (172), 11º e 12º colocados no ranking, respectivamente. O sedã inglês supera, inclusive, o Toyota Camry (106 exemplares) e o Audi A6 (51 unidades), um de seus principais rivais.

+ Confira aqui o vídeo da avaliação do Jaguar XF na série 90 Segundos

Esse crescimento da participação da Jaguar no mercado deve-se a um posicionamento de preços do sedã XF. O modelo, que antes era vendido a partir de R$ 245.900, agora oferece a versão Luxury que parte de R$ 199 mil. Já a configuração Premium Luxury tem preço inicial de R$ 219 mil por conta da maior oferta de itens de série – as duas variantes são equipadas com o motor de quatro cilindros de 2.0 litros turbo a gasolina de 240 cv de potência e câmbio automático de oito marchas.

A variante Portfolio, com propulsor de 3.0 litros V6 de 340 cv, custa R$ 285 mil, enquanto a esportiva XFR (motor de 5.0 litros Supercharged de 510 cv) parte de elevados R$ 459.500.