[wppa type=”slide” album=”553″][/wppa]

Na abertura do Salão de Paris, após o vazamento de fotos oficiais, a Fiat finalmente apresentou o 500X. O veículo, que divide plataforma com o Jeep Renegade, adota linhas agradáveis, semelhantes ao 500 tradicional.

Com o lançamento, a Fiat confirmou que o veículo será vendido nos Estados Unidos. Por esse motivo, há motores a gasolina e a diesel, três tipos de câmbio e variações no estilo de tração. O veículo será produzido com duas opções de acabamento, uma urbana e outra aventureira.

O crossover mede 4,25 metros,de comprimento possui 1,8 m de largura e 1,6 m de altura. O porta-malas tem capacidade para 350 litros — menor que os 400 disponibilizados no Fiat Bravo, por exemplo. Por dentro o veículo oferece o sistema de entretenimento UConnect e comandos por voz. O 500X trará de série seis airbags, controle de estabilidade e alertas para saídas não intencionais da faixa e para veículos no ponto cego. A câmera de ré será vendida apenas como opcional.

A imprensa italiana havia especulado seis motores, porém a montadora disponibilizará sete opções, sendo que um deles será exclusivo para os Estados Unidos. As motorizações são: Multijet II turbodiesel de 1.6 litro com 120 cv, equipado com câmbio de seis marchas manual e dupla-embreagem como opcional; o Multijet a diesel de 1.25 litro e 95 cv; o Multijet II de 2.0 litros e 140 cv, este com tração integral e transmissão de nove marchas; MultiAir turbo de 1.4 litro e 140 cv, acompanhado de câmbio manual de seis marchas; MultiAir com 1.4 litro e 170 cv; o E-Torq de 1.6 com 110 cv e o câmbio manual de cinco marchas, o mesmo que equipa os veículos Fiat no Brasil; e, exclusivamente nos EUA, o Tigershark de 2.4 litros e 184 cv e tração integral de série.

Agora, com todas essas informações associadas ao fato do Jeep Renegade não só vir, mas ser fabricado no Brasil, especificamente na nova fábrica de Pernambuco, é possível especular que o 500X também seja feito por aqui. Além de usar a plataforma de um veículo nacional, a utilização do câmbio comum a carros brasileiros, são indícios de que, a partir do ano que vem, o crossover possa integrar a linha Fiat futuramente.

Além disso, durante a coletiva de imprensa para o lançamento oficial, a montadora informou que o veículo será vendido em 100 países. A fabricante italiana, porém, não mencionou o Brasil especificamente.