É comum marcas de superesportivos usarem materiais leves em seus veículos para diminuir o peso. Atualmente o suprassumo é a fibra de carbono, presente em quase todos os modelos de alto desempenho. Os carros mais modestos usam o alumínio, metais leves e plástico. Mas, certamente, você nunca viu alguém usar espuma.

Um homem na lituânia comprou a carcaça de um Mercedes-Benz Classe CLK e o transformou em exótico modelo com espuma expansiva de poliuretano. A estratégia é “simples”, depois que a espuma expande, fica rígida o suficiente para moldar apenas lixando. Não está acreditando na história? Então confira a galeria:

[wppa type=”slideonlyf” album=”367″][/wppa]