A Puma Veículos escreveu seu nome na história da indústria automobilística brasileira por várias razões. E não só por ter começado em uma fazenda na cidade de Matão. Ela foi, sem dúvida nenhuma, a fabricante de modelos fora-de-série mais bem-sucedida do país, exportando para o mundo todo.

No final da década de 60 – e por toda a década seguinte – se tornou presença marcante nas garagens de bairros de classe alta e nos bares da moda. Andar em um deles era pagar o dobro do preço da grande maioria dos carros e ter em mãos algo exclusivo.

Além disso, a fábrica oferecia diversas opções de customização, incluindo kits para aumento de cilindrada e carburação. Pequeno e ágil, conseguia deixar esportivo maiores pra trás com uma receita simples nos rachas de madrugada.

O exemplar da matéria é um GTE 1972, a versão de exportação, com tudo que fez os estrangeiros se apaixonarem por ele na época e nos dias atuais. Vale conferir cada detalhe desse clássico genuinamente nacional.

Renato Bellote é jornalista automotivo em São Paulo, redator da Revista Driver e editor-chefe da Garagem do Bellote TV. Sua paixão por carros começou no dia em que saiu da maternidade a bordo de um Dodge Charger R/T. (www.garagemdobellote.com.br)