4d77eeb50a0d028a01429498793552cf

A chegada do inverno (teve início no último dia 21) aumenta a preocupação das pessoas com os problemas respiratórios. Para evitá-los, muita gente toma os devidos cuidados em casa e no ambiente de trabalho, mas acaba se esquecendo das horas passadas dentro de seus carros, principalmente nas grandes cidades, onde o trânsito é mais complicado. Devido o aumento do uso do aquecimento interno durante os dias mais frios, é importante tomar alguns cuidados com os sistemas de ar-condicionado e ventilação dos veículos.

“É mais frequente que as pessoas se lembrem de trocar os filtros de cabine do carro no verão por conta do uso mais intenso do ar-condicionado. Mas, durante o inverno, os filtros continuam trabalhando nos sistemas de climatização, reciclagem e filtragem do ar quente ou até mesmo na busca do ar externo para a ventilação interna. Nesses processos, o componente acaba acumulando partículas e microrganismos que são nocivos à saúde”, explica Carlos Matos, gerente de Mercado de filtros automotivos para a América Latina da Fraudenberg Filtration Technologies, dona da micronAir, empresa especializada na fabricação de filtros de ar de cabine de veículos.

Além disso, o ar quente gerado pelo sistema de aquecimento do veículo, junto com a umidade do evaporador, pode tornar os filtros de cabine lugares propícios para a proliferação de fungos e bactérias. “Muitas vezes os microrganismos estão associados a problemas respiratórios que poderiam ser evitados ou amenizados com a substituição do filtro do ar-condicionado do carro. Os donos dos veículos devem estar atentos ao prazo de validade desses filtros”, diz Luciano Ponzio, responsável de pós-venda da micronAir.

A manutenção correta do ar-condicionado, além de evitar alergias e doenças respiratórias, garante também que o equipamento funcione com maior eficiência, reduzindo o desgaste e o consumo de combustível do motor.

Higienização e manutenção

– O ar-condicionado deve passar por uma higienização a cada seis meses, em empresas e oficinas especializadas nesse tipo de serviço. No procedimento é trocado o filtro antipólen e é realizada uma limpeza simples, injetando um produto específico para a higienização da tubulação.

– A cada 30 mil quilômetros deve ser feita uma manutenção mais completa, que substitui os filtros antipólen e secador, além de limpar o evaporador, mangueiras e válvulas de enchimento. As trocas do óleo e do gás do compressor do ar-condicionado também são realizadas. Esse serviço custa, em média, R$ 600, dependendo do veículo e das condições do equipamento.