10352722_h15508358

A Tesla Motors, fabricante norte-americana de carros elétricos, anunciou na última quinta-feira (12) que vai permitir o uso das patentes de suas tecnologias por outras empresas para incentivar a criação de novos veículos movidos a eletricidade.

Segundo a Tesla, o objetivo dessa medida é estimular a inovação e o crescimento do setor de automóveis elétricos no mundo. A empresa, uma das pioneiras na produção desse tipo de veículo, comercializou 20 mil carros no ano passado e pretende vender 35 mil unidades em 2014.

“Criamos patentes pensando que as grandes fabricantes de automóveis fossem nos copiar, mas vimos que estamos errados. A triste realidade é que os carros elétricos correspondem a menos de 1% das vendas totais das outras montadoras”, explicou Elon Musk, presidente da Tesla, sobre a iniciativa de sua empresa.

O executivo disse ainda que, devido o volume de veículos produzidos em todo o mundo estar se aproximando da marca de 100 milhões de unidades por ano, é impossível para a Tesla fabricar modelos elétricos na mesma proporção. “A nossa maior concorrência não são as pequenas parcelas de híbridos produzidos a cada ano, mas a enorme quantidade de carros movidos a combustão que saem das fábricas a cada dia”, destacou.

[wppa type=”slide” album=”303″][/wppa]

“Se abrirmos caminho para a criação de veículos elétricos e, ao mesmo tempo, colocarmos barreiras de propriedade intelectual para inibir outras empresas, estamos agindo de maneira contrária ao objetivo inicial”, explicou Musk.

O anúncio foi visto como uma grande surpresa no setor automotivo, uma vez que a Tesla está investindo US$ 5 bilhões (cerca de R$ 11,2 bilhões) em uma fábrica de baterias. Era esperado que parte do lucro da empresa fosse proveniente da propriedade intelectual de suas tecnologias de motores elétricos.

Sete anos após a Tesla apresentar o esportivo Roadster, que já teve a sua produção encerrada em 2011, o setor de carros elétricos ainda representa menos de 1% do mercado norte-americano. Entre os motivos para o desempenho pífio desse tipo de veículo naquele país estão a falta de infra-estrutura de pontos de recarga de baterias e o preço da gasolina, que segue estável.