%%wppa%% %%slide=232%%

A Fiat perde US$ 14 mil (cerca de R$ 28 mil) toda vez que alguém compra um Fiat 500e, garante Sérgio Marchionne, CEO da Fiat-Chrysler. A afirmação foi feita pelo executivo na manhã desta quarta-feira (21) em Washington, nos Estados Unidos, segundo o site Detroit News.

Sendo assim, o chefão da Fiat fez mais uma de suas polêmicas declarações. “Eu espero que vocês não comprem este carro”, disse referindo-se ao 500e, que somente está à venda somente na Califórnia, devido aos incentivos fiscais concedidos por lá para os modelos elétricos.

Há cerca de um ano o próprio Marchionne já estimava um prejuízo de cerca de US$ 10 mil (R$ 22 mil) a cada exemplar da versão 100% elétrica do hatch retrô. O fato é que a despesa aumentou além do previsto e não há uma explicação sobre o motivo até o momento.

De qualquer forma, não é segredo que os custos para desenvolvimento e produção de um veículo elétrico são altos para as fabricantes, uma vez que seus compontes, (principalmente as baterias) são caros, o que causa um forte impacto no preço final.

O Fiat 500e custa a partir de US$ 32.300 (R$ 71,3 mil), sem os incentivos do governo local. Com os descontos, o preço cai para US$ 19.300 (R$ 42,6 mil). Para se ter uma ideia, o valor sem os incentivos representa o dobro do 500 a gasolina à venda no mercado norte-americano.

Sem emitir poluentes, lo Fiat 500e entrega 111 cv de potência e pode chegar aos 100 km/h em cerca de 10 segundos. A velocidade máxima alcançada é de 140 km/h.