insulfilm

Faz tempo que a moda pegou. A película escurecedora dos vidros (também chamada de insulfilm) se popularizou rapidamente no Brasil. Grande parte desse sucesso deve-se ao fato de que a película reduz boa parte dos raios ultravioleta que podem atingir os ocupantes do veículo pelas janelas, reduz a temperatura interna, o que ajuda o ar-condicionado a render mais, diminui o brilho excessivo da luminosidade que entra no veículo, além de, em algumas situações de quebra ou trinca de vidro, também ajuda a reter os cacos de vidro, pois se torna uma espécie de rede, evitando ferimentos provocados pelos estilhaços.

A grande questão é: você prestou a atenção na legislação na hora de escolher o insulfilm para o seu carro? Isso porque, de acordo com a resolução 254/07 do Contran (Conselho Nacional de Trânsito), os vidros com películas escurecidas devem ter, no mínimo, as seguintes porcentagens de entrada de luz:

  • Para-brisa: 75% para os vidros incolores e 70% para os vidros coloridos
  • Vidros laterais dianteiros: 70%
  • Vidros laterais traseiros e vigia (veículos sem o espelho retrovisor do lado direito): 70%
  • *Vidros laterais traseiros e vigia (com espelhos retrovisores): 28%
  • Vidros traseiros : 28 %

Se você não seguir as normas de trânsito, a sua visibilidade ficará comprometida, podendo causar um acidente por isso. Além disso, o descumprimento da lei gera uma série de penalizações:

  • Infração grave
  • Cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação
  • Multa de R$ 127,69
  • Retenção do veículo para regularização

Fique ligado!

De acordo com a resolução 386/11 do Contran, os veículos que tiverem película escurecida precisam exibir a marcação do índice de transparência em local de fácil visualização, assim como a marca do fabricante do vidro e o símbolo de conformidade com a legislação brasileira (definido pelo Inmetro). Vale lembrar que as películas reflexivas são proibidas.