IMG_9948

O Citroën C3 foi eleito pelo ranking de reparabilidade Car Group, divulgado pelo Cesvi (Centro de Experimentação e Segurança Viária), como o compacto mais fácil e barato de ser consertado – a entidade avalia o grau de dificuldade, o preço das peças e o tempo necessário para o reparo do veículo após uma colisão.

Mas para manter o carro em boas condições de uso, o recomendado é realizar as revisões periódicas indicadas pelo fabricante. No entanto, levar o veículo a uma concessionária pode provocar uma surpresa desagradável ao proprietário na hora de pagar pelo serviço. No caso da Citroën, a marca divulga em seu site a tabela de preços das revisões para todos os seus modelos. Os valores são fixos até os 60 mil quilômetros rodados.

O dono de um Citroën C3, por exemplo, pagará R$ 324 pela revisão de 10 mil quilômetros, que inclui as trocas de óleo do motor e do filtro do lubrificante, além das verificações dos níveis de fluídos de freio, arrefecimento, do reservatório do lavador do para-brisas, inspeção da bateria, leitura da memória do autodiagnostico e teste de rodagem do veículo.

As revisões de 20 mil, 30 mil e 50 mil quilômetros alternam os valores de R$ 540 e R$ 508, e verificam e substituem outros itens além dos inspecionados na primeira revisão. Aos 60 mil quilômetros, o preço aumenta para R$ 660. Os valores podem ser parcelados em até quatro vezes. Vale lembrar que o C3 tem garantia de três anos.